Fazenda Irapuru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Fazenda Irapuru localiza-se no município brasileiro de Tangará, no estado do Rio Grande do Norte. Fundada por Teodorico Bezerra, o maior produtor de algodão do Rio Grande do Norte à sua época, a fazenda ganhou notoriedade por sua vasta extensão territorial (14 mil hectares, ou 144 quilômetros quadrados) bem como pelo modo de vida peculiar de seus três mil habitantes.[1]

Esta Fazenda servia como reduto privado do potentado potiguar, Teodorico Bezerra, como um do(s) último(s) espaço(s) de poder, paralelo a nação brasileira, ainda remanescente no interior do Nordeste, na segunda metade do século XX.

Irapuru sobreviveu como um verdadeiro estado independente e/ou o “mundo” particular nos sertões do Seridó Norte-Rio-Grandense, pois tinha uma econômica autônoma e isolada da realidade onde estava inserida, tornando-a assim uma cidadela ou comunidade separada do mundo a sua volta, tratada como uma comunidade particular e que, tinha um código de leis próprias, estabelecido pelo major-coronel, como é um caso sui generis, do período, pelo modo de vida dos seus moradores que obedeciam incontestavelmente à figura do major-coronel Teodorico Bezerra, que exercia o poder e o mando, como de um verdadeiro “Imperador do Sertão.”

Irapuru era transformada em um espaço de ordem local paralela ao estado e município que estava inserida, tornando-a assim, em um ambiente ímpar e particular do momento, além do período em perdurou o sistema coronelista.

Visitaram ou hospedaram-se na fazenda nomes relevantes da política brasileira, como o ex-presidente Juscelino Kubitschek, o cartunista e jornalista Henfil, o escritor Luís da Câmara Cascudo, o capuchinho Frei Damião de Bozzano, os senadores José Agripino Maia e Garibaldi Alves Filho, atestando a influência política de Teodorico Bezerra.[1] A fazenda, seu proprietário e suas relações com os moradores do local foram os temas de um documentário realizado pela Rede Globo em 1978, intitulado Teodorico, o Imperador do Sertão.[2]

Referências

  1. a b «Passado histórico recebe valorização» (PDF). Diário de Natal. Consultado em 29 de junho de 2009. 
  2. «Teodorico, Imperador do Sertão». Videoteca do IAT. Consultado em 29 de junho de 2009. 
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.