Feyisa Lilesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Feyisa Lilesa (nascido em 1 de fevereiro de 1990) é um corredor de longa distância da Etiópia, membro do povo Oromo, o maior grupo étnico do país. Tornou-se o atleta mais jovem a correr durante 2:06 horas quando estabeleceu sua melhor marca pessoal (2:05:23) na Maratona de Roterdã em 2010.[1] Sua marca pessoal de 2:04:52, estabelecido em 2012, o coloca entre os dez maratonistas mais rápidos de todos os tempos.[2]

Feyisa Lilesa durante a Maratona de Londres, em 2013.

Venceu a Maratona de Dublin em 2009 logo na sua corrida de estreia e em seguida venceu a Maratona Internacional de Xiamen em 2010. Foi medalhista de bronze na maratona masculina do Campeonato Mundial de Atletismo de 2011 e conquistou a medalha de prata nesta mesma prova nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016, realizados no Rio de Janeiro, no Brasil. No último dia da Olimpíada Rio 2016, em 21 de agosto, enquanto ele estava cruzando a linha de chegada da maratona masculina e conquistando a medalha de prata, cruzou seus braços acima da cabeça num gesto político[3] contra a opressão do povo Oromo do seu país natal, Etiópia.[4][5][6] Alegando temer pela própria vida e sofrer as consequências caso ele retorne à Etiópia,[7] deu entrevista a uma conferência de imprensa após o término de sua corrida e disse que "tentaria mudar de outro país".[8] O mesmo é de etnia oromo.[8]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Entrou para a competição internacional em 2008 e sua primeira grande competição foi o Campeonato Mundial de Cross-Country de 2008, onde obteve a décima quarta posição, ajudando a equipe etíope a conquistar a medalha de prata.[9] Participou na primeira edição da corrida mundial de 10 quilômetros, em Bangalore, na Índia, em maio do mesmo ano e chegou na quinta posição com um tempo de 28:35.[10] Feyisa participou no Campeonato Mundial de Cross-Country de 2009, obtendo a décima segunda posição e conquistando a medalha de prata junto com a equipe etíope.[11] No mês de abril do mesmo ano, foi aos Estados Unidos para competir no Crescent City Classic em Nova Orleães.

Referências

  1. «Merga and Lilesa join Chicago men's field» (em inglês). IAAF. 1 de outubro de 2010. Consultado em 29 de junho de 2011. Cópia arquivada em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Marathon - men - senior - outdoor» (em inglês). IAAF. Consultado em 8 de maio de 2016 
  3. «Maratonista etíope faz gesto político e corre risco em seu país». Veja. 22 de agosto de 2016. Consultado em 23 de agosto de 2016 
  4. Tom C. Avendaño. «Medalhista etíope que criticou seu país se recusa a deixar o Brasil». El País Brasil. Consultado em 23 de agosto de 2016 
  5. «Medalhista faz gesto de protesto em maratona e teme represália na Etiópia». El País Brasil. 22 de agosto de 2016. Consultado em 23 de agosto de 2016 
  6. Ópera Mundi (22 de agosto de 2016). «Medalhista da maratona olímpica protesta contra situação de sua etnia na Etiópia». Brasil de Fato. Consultado em 23 de agosto de 2016 
  7. «Atleta teme ser morto na Etiópia por protesto na Rio 2016». Opinião & Notícia. 23 de agosto de 2016. Consultado em 23 de agosto de 2016 
  8. a b «Ethiopia 'hero' runner gets asylum donations after Oromo protest sign». BBC News (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2016 
  9. «2008 World XC Championships – Official Team Results Junior Race – M» (em inglês). IAAF. Consultado em 4 de agosto de 2010. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2011 
  10. Krishnan, Ram. Murali (18 de maio de 2008). «Tadese the men's 10km victor, while Abeylegesse and Momanyi share women's spoils in Bangalore» (em inglês). IAAF. Consultado em 8 de maio de 2016 
  11. Powell, David (28 de março de 2009). «Gebremariam's final burst secures men's senior prize for Ethiopia – Amman 2009» (em inglês). IAAF. Consultado em 23 de agosto de 2016