Oromas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura pela língua cuchítica falada pelos oromos no Sul da Etiópia e partes adjacentes, veja Língua oromo.
Oromo
Oromoo
Gadaa Flag.gif
Bandeira do Sistema Gadaa de governança democrática Oromo
Beauty of Oromia.jpg
Mulheres oromo
População total

c. 41 milhões

Regiões com população significativa
 Etiópia 40 689 061 (2022) [1]
 Quénia 656 636 (2019) [2]
 Somália 98 500 [3]
 Estados Unidos 40 000 [4]
 Austrália 4 310 (2021) [5]
 Canadá 3 350 (2016) [6]
Línguas
Oromo
Religiões

Star and Crescent.svg Islão - 55% - 60%
Ichthus.svg Cristianismo - 40% - 45%

AnimismSymbol.PNG Animismo - 15%+[7]

Os oromas,[8][9][10] também referidos como oromos,[11][12] são um povo do sul da Etiópia e nordeste do Quênia, falam a língua Oromo

Eles são o maior grupo étnico da Etiópia e representam uma grande parte da população da Etiópia.

Origem e história[editar | editar código-fonte]

O povo Oromo é um dos povos mais antigos que habitam a região do Chifre da África. Estudos de etnologia e linguística sugerem que provavelmente os Oromos tem sua origem em torno do lago Chew Bahir e Lago Chamo.

O povo habita o leste e nordeste da África desde pelo menos o início do primeiro milênio. Os Oromos aumentaram seus números através da Oromização (Meedhicca, Mogasa e Gudifacha), assimilação forçada de outros grupos étnicos, bem como a inclusão de povos mistos (Gabaro).

O primeiro registro verificável que menciona o povo Oromo foi realizado por um cartógrafo italiano Fra Mauro em 1460, mas acredita-se que o povo oromo deu origem a outros povos da região como os somalis.

O povo Oromo utiliza o sistema democrático de governança chamado, Sistema Gadaa sendo um líder eleito e seu mandato durando oito anos, com uma eleição ocorrendo ao final desse período.

Religião[editar | editar código-fonte]

Os Oromo seguiam sua religião tradicional, Waaqeffanna, e eram resistentes à conversão religiosa antes da assimilação em sultanatos e reinos cristãos.

A longa guerra de 30 anos (1529-1559) entre as três frentes, Oromos, cristãos e muçulmanos, resultou na dissipação das forças políticas de todos os três.

No século XIX e primeira metade do século XX, os esforços dos missionários protestantes e católicos espalharam o cristianismo entre os oromos. Atualmente as duas religiões Cristianismo e Islamismo aglutinam a maior parte da crença religiosa do povo, com um pequeno percentual professando a religião tradicional, o Waaqeffanna.

Estratifição social[editar | editar código-fonte]

Igual a outros grupos étnicos no Chifre da África e na África Oriental, os Oromos desenvolveram uma estratificação social composta por quatro estratos. Os estratos mais altos eram os nobres chamados de borana; abaixo deles estavam os Gabbaro (textos etíopes dos séculos XVII a XIX os referem como dhalatta).

Abaixo desses dois estratos superiores, existiam os mais desprezados sendo os artesãos, e no nível mais baixo dos escravos.

Residência oromo.

Referências

  1. «Ethiopia». The World Factbook, Central Intelligence Agency. Consultado em 24 de dezembro de 2022 
  2. «Population and Housing Census: Ethnic Affiliation». knbs.or.ke. Kenya National Bureau of Statistics. Consultado em 21 de maio de 2019. Cópia arquivada em 12 de maio de 2013 
  3. Project, Joshua. «Oromo, Southern in Somalia» (em inglês). Consultado em 7 de novembro de 2018 
  4. «Oromo Community of Minnesota | CareerForce». www.careerforcemn.com 
  5. Australian Bureau of Statistics 2021, Census of Population and Housing: Cultural diversity data summary, 2021, 28 June 2022, Arquivado em 10 novembro 2022 no Wayback Machine
  6. «Census Profile, 2016 Census». Statistics Canada. Consultado em 29 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 23 de setembro de 2017 
  7. Refugees, United Nations High Commissioner for. «Refworld | Ethiopia and the Oromo People: Is it possible to determine whether an Ethiopian is an ethnic Oromo by the individual's last name? What religion or religions are practiced by ethnic Oromos in Ethiopia». Refworld (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2023 
  8. «Violência tribal deixa mais de cem mortos na região etíope de Oromia - 30/05/2008 - EFE - Internacional». noticias.uol.com.br. Consultado em 29 de setembro de 2016 
  9. «Violência deixa mais de cem mortos em região etíope». Consultado em 29 de setembro de 2016 
  10. «Medalhista etíope diz ter medo de regressar ao seu país». Consultado em 29 de setembro de 2016 
  11. «Anistia Internacional acusa Etiópia de torturar etnia oromo». 28 de outubro de 2014. Consultado em 29 de setembro de 2016 
  12. «Anistia Internacional acusa Etiópia de perseguir etnia Oromo». Consultado em 29 de setembro de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Postscript-viewer-blue.svgVer também a categoria: Povo oromo
Ícone de esboço Este artigo sobre antropologia ou um antropólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.