Floresta urbana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Floresta urbana em Colônia (Alemanha).

Floresta urbana é uma floresta (ou fragmento florestal) situada dentro ou próximo a uma zona urbana. Alguns países também aplicam essa expressão para designar a arborização urbana de uma cidade. Nesse último caso, países como Estados Unidos da América e Canadá são bons exemplos.

A própria expressão da língua inglesa urban forestry nasceu no Canadá na década de 1960 para designar a arborização. Alguns países como a Finlândia e Alemanha consideram floresta urbana apenas as áreas de florestas nativas que se situam dentro ou próximas ao perímetro urbano.

Diferenciação[editar | editar código-fonte]

As principais diferenças entre uma floresta urbana e uma não urbana estão na influência que a primeira sofre da cidade e de seus habitantes. Nas florestas urbanas, fatores impactantes como lixo, trilhas, retirada de plantas ornamentais, poluição sonora e atmosférica são mais comuns. As florestas urbanas também sofrem mais com a especulação imobiliária.

Importância[editar | editar código-fonte]

Esses fragmentos de florestas situados próximo ou dentro das cidades são importantes mantenedores da biodiversidade. Várias espécies de plantas e animais encontram, neles, o seu abrigo. Sua proximidade com as cidades também serve de potencial alternativa de lazer. Nessas áreas, podemos encontrar, numa caminhada mais atenta, várias espécies de pássaros, insetos, plantas e mamíferos. Entretanto, seu valor para a cidade vai além da preservação das espécies e do lazer. Esses fragmentos de florestas podem mitigar a poluição química e sonora, reduzir o efeito de ilha de calor, aumentar a disponibilidade e qualidade da água, reduzir a erosão nas encostas e, por consequência, os assoreamentos dos rios.

Esses e muitos outros benefícios se traduzem em economia de dinheiro para as cidades, visto que seriam necessários menos investimentos em dragagem dos rios, tratamento da água e consumo de energia elétrica pelos aparelhos de ar-condicionado. Além desses fatores de importância local, soma-se o fato de as árvores serem grandes reservatórios de carbono, assim essas florestas podem absorver uma grande quantidade de dióxido de carbono (CO2), ajudando, assim, a reduzir o aquecimento global.

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, essa expressão ainda é pouco usada e falta uma definição. O termo "floresta", no Brasil, não costuma ser utilizado para designar a arborização da cidade, sendo mais utilizado para se referir a florestas nativas. Neste contexto, o Parque da Cantareira, localizado na Zona Norte de São Paulo, e o Parque Estadual da Pedra Branca, localizado na Zona Oeste de Rio de Janeiro, são considerados as maiores florestas urbanas do mundo.[1][2]

Referências

  1. «Portal do Governo do Estado de São Paulo: Parque da Cantareira é a maior floresta urbana no mundo». www.saopaulo.sp.gov.br. Consultado em 19 de março de 2009 
  2. «Amigos do Parque: Pedra Branca – A Maior Floresta Urbana do Mundo». www.parquepedrabranca.com. Consultado em 19 de março de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]