Gazeta de Notícias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Gazeta de Notícias foi um periódico publicado no Rio de Janeiro. Circulou entre agosto de 1875 e 1942.

Fundado por Manuel Carneiro, José Ferreira de Araújo e Elísio Mendes, em 2 de agosto de 1875, o jornal introduziu uma série de inovações na imprensa brasileira,[1]como o emprego do clichê, das caricaturas e da técnica de entrevistas, chegando a ser um dos principais jornais da capital federal durante a Primeira República.[2]Também abriu espaço para a literatura (que publicava em folhetins) e promoveu o debate dos grandes temas nacionais da época. Antimonarquista e abolicionista, foi em suas páginas que José do Patrocínio (sob o pseudônimo de Prudhome) iniciou a sua campanha pela abolição da escravatura (1879). Machado de Assis, Capistrano de Abreu, Olavo Bilac, Euclides da Cunha, João do Rio e os portugueses Eça de Queirós e Ramalho Ortigão, entre outros, também escreveram para a Gazeta.[3]

Em 1º de dezembro de 2009, o título foi retomado e passou a ser publicado pela Jornal Gazeta de Notícias Editora. A numeração de edições foi reiniciada. O novo jornal se referiu ao período de 1875 a 1942 como sendo a "primeira fase", declarando, na primeira página, representar a segunda fase do periódico extinto.

Referências

  1. ALONSO, Angela. Flores, votos e balas. Companhia das Letras, 2015; 568 pp.
  2. CPDOC-FGV. Gazeta de Notícias
  3. "Balas de Estalo" de Machado de Assis: humor e política no Segundo Reinado. Por Ana Flávia Cernic Ramos. Revista de Letras Unesp. v. 48, nº 2, julho-dezembro de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre meios de comunicação ou jornalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.