Georges Hébert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Georges Hébert
O tenente Georges Hébert em 1913
Nascimento 27 de abril de 1875
Paris
Morte 2 de agosto de 1957 (82 anos)
Tourgéville
Cidadania França
Prêmios Cavaleiro da Legião de Honra, Croix de guerre 1914–1918, Comandante da Legião de Honra

Georges Hébert (Paris, 1875Tourgéville, 1957) foi um desportista e educador físico francês. Desenvolvendo o Méthode Naturelle (Método Natural de Educação Física) ou MN. Foi condecorado como commandeur de la Légion d'honneur.

Aos 27 anos, em 8 de maio de 1903, Hébert coordenou na Martinica a evacuação de setecentas pessoas próximo da cidade de Saint-Pierre durante uma catastrófica erupção vulcânica no Monte Pelair (ou Monte Pelée) .

  • Cerca de 30 mil pessoas morreram devido a erupção e o fluxo piroclástico (uma cinza vulcânica com cerca de 300 °C) que cobriu 20 km seguida pela lava (a cerca de 1000 °C)
  • O efeito do fluxo piroclástico é tão devastador que em 3 minutos exterminou parte da Cidade. Pessoas foram encontradas queimadas, contorcidas e explodidas.
  • Essa foi a mais devastadora erupção vulcânica de que se tem conhecimento.
  • A experiência surtiu profundos efeitos nele, reforçando sua crença na importância da "força física" e do "altruísmo".

Viveu e escreveu sua obra em um período permeado por movimentos naturistas tanto médicos quanto pedagógicos, quando a natureza selvagem vivenciada também no escotismo esteve na moda.

Hébert acentuava, em suas propostas de educação, a necessidade de ser forte, definindo que "ser forte" significa se desenvolver não só de maneira completa, mas útil.

"Etre fort pour être utile" ou "Ser forte para ser útil"

A força do "selvagem",que de acordo com teorias científicas(século XIX) pertenceria a "raças inferiores", é resgatada e redimida pelas virtudes que possui, para modelar o desenvolvimento do homem e da mulher urbanos com processos "científicos" de apropriação de suas forças ocultas pela imitação de seu modo de vida, de sua condição de existência. Sua obra exprime o fascínio pela potência misteriosa de populações exóticas, pois Hébert teria viajado extensivamente pelo mundo, se impressionando pelo desenvolvimento físico e habilidades dos movimentos de povos indígenas, africanos e de outros lugares. Nas palavras de Hébert: "Seus corpos eram esplêndidos, flexíveis, ágeis, habilidosos, duráveis, resistentes e ainda nunca tiveram nenhum tutor em ginástica exceto pelo seu convívio com a natureza."

"Être et durer" ou "Ser e durar" ou "To be and to last"

Entendendo o Método Natural[editar | editar código-fonte]

Georges Hébert:

  • "No senso puramente "físico", o Método Natural promove as qualidades de resistência orgânica, muscularidade e velocidade, em função de poder andar, correr, pular, movimento quadrúpede, escalar, andar em equilíbrio, arremessar, levantar, defender-se, e nadar."
  • "No senso "viril" ou energético, o sistema consiste em ter energia suficiente, força de vontade, coragem, frieza, e fermeté ("firmeza")."
  • "No senso "moral", a educação, pela elevação das emoções, conduz ou mantém a fibra moral de uma forma útil e benéfica."

"Método Natural, no seu sentido mais abrangente, precisa ser considerado como o resultado dessas três forças em particular; é uma síntese do físico, viril e moral. Reside não só nos músculos e na respiração, mas acima de tudo na "energia" que é usada, na determinação que direciona e no sentimento que guia."

Posteriormente esse método se tornou padrão e base de treinamento militar internacional.

Nos dias atuais essa prática do Atleta Natural volta a ganhar destaque. Sem dúvida a prática do parkour, de origem principalmente na filosofia do MN, vem popularizando de forma gradativa esse tipo de treinamento. E além do mais esse método é algo natural.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • L'éducation physique ou l'entraînement complet par la méthode naturelle, Librairie Vuibert, Paris, 1912
  • La Culture Virile et les Devoirs Physiques de L'Officier Combattant, Libairie Vuilbert, Paris, 1913
  • Le Sport contre l’Éducation physique, Librairie Vuibert, Paris, 1946, 4e édition (1e édition. 1925)
  • L'éducation physique et morale par la méthode naturelle. Tome I. Exposé doctrinal et Principes directeurs de travail, nombreuses illustrations, Librairie Vuibert, Paris, 1941-1942
  • L'éducation physique virile et morale par la méthode naturelle. Tome II. Technique des Exercices. Technologie. Marche. Course. Saut. , Librairie Vuibert, Paris, 1942, 643 pp.
  • L'éducation physique virile et morale par la méthode naturelle. Tome III. Technique des exercices. Fascicule 1. Quadrupédie., Librairie Vuibert, Paris, 1943, 244 pp.
  • L'éducation physique virile et morale par la méthode naturelle. Tome III. Technique des exercices. Fascicule 2. Grimper., Librairie Vuibert, Paris, 1943, 244 pp.
  • Marche et Sauts, 1942
  • Grimper, 1943
  • Equilibrisme, 1946

Ligações externas[editar | editar código-fonte]