Gerhart Riegner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gerhart Riegner
Nascimento 12 de setembro de 1911
Berlim
Morte 3 de dezembro de 2001 (90 anos)
Genebra
Sepultamento Cimetière israélite de Veyrier
Cidadania Alemanha
Alma mater
Ocupação advogado, autobiógrafo, assessor jurídico, filósofo, teólogo
Prêmios
  • Estrela da Amizade dos Povos
  • Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno
  • Four Freedoms Award - Freedom of Worship
  • Cavaleiro da Legião de Honra
Religião Judaísmo

Gerhart Moritz Riegner (Berlim, 12 de setembro de 1911Genebra, 3 de dezembro de 2001) foi secretário-geral do Congresso Mundial Judaico de 1965 a 1983.[carece de fontes?]

Em 8 de agosto de 1942, enviou o famoso Telegrama Riegner através de canais diplomáticos para Stephen Samuel Wise, presidente do Congresso Mundial Judaico nos EUA, e a Sidney Silverman, parlamentar trabalhista judeu em Londres. A fonte da informação era Eduard Schulte, o diretor executivo antinazista da proeminente empresa alemã Giesche que empregava oficiais nazistas de alto nível. O telegrama de Riegner dizia em parte: “Recebi a alarmante informação de que no quartel-general do Führer está sendo discutido e analisado um plano segundo o qual todos os judeus nos países ocupados ou controlados pela Alemanha, em um total de 3,5 ou 4 milhões, após serem deportados e presos em campos de concentração devem ser exterminados em massa, a fim de que se resolva de uma vez por todas a questão judaica na Europa”.[1] [2]

Referências

  1. Denis Staunton (7 de dezembro de 2001). «Gerhart Riegner». The Guardian 
  2. «Gerhart M. Riegner». Superinteressante. 31 de março de 2003 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.