Universidade de Heidelberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade de Heidelberg Ruprecht Karl
Ruprecht-Karls-Universität Heidelberg
Latim:Ruperto Carola Heidelbergensis
Selo da Universidade de Heidelberg
Lema Semper apertus (Sempre aberta)
Fundação 1386 (631 anos)
Tipo de instituição Publica
Localização Heidelberg, Alemanha
Reitor(a) Bernhard Eitel
Total de estudantes 25.000
Afiliações Grupo Coimbra, LERU, EUA
Página oficial http://www.uni-heidelberg.de
Entrada Principal da Biblioteca da Universidade

A Universidade de Heidelberg, ou, nas suas formas portugueas, de Heidelberga ou de Edelberga, oficialmente denominada Universidade de Heidelberg Ruprecht Karl (Ruprecht-Karls-Universität Heidelberg, em alemão) é uma universidade pública alemã, das mais prestigiadas universidades da Alemanha. Está estabelecida em Heidelberg, em Baden-Württemberg. Foi fundada em 1386, tendo sido a terceira universidade estabelecida no Sacro Império. Seu nome latino é Ruperto Carola Heidelbergensis.

Estudantes do sexo feminino passaram a ser admitidas em 1899. Atualmente a Universidade é constituída de doze faculdades e oferece programas de graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado em cerca de 100 disciplinas,[1] integrando o Grupo Coimbra

A universidade, criada por Ruperto I (em alemão: Ruprecht I), Eleitor do Palatinato, quando Heidelberg era a capital do Palatinado, e tornou-se um centro de teólogos e especialistas em leis no Sacro Império. Durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) a universidade entrou em decadência financeira e intelectual, e só viria a se recuperar no início do século XIX,[2] convertendo-se em centro de pensamento democrático e de intelectuais humanistas independentes,[3] tendo sido adotada como modelo para universidades americanas. [4]

Durante o governo do partido nazista (1933-1945), a universidade atravessou um outro período de dificuldades e perdeu muitos dos seus professores por motivos políticos. No pós-guerra, passou por um período de desnazificação. Nos anos 1970, foi um palco de importantes manifestações de estudantes de esquerda.[5]

A universidade dá ênfase à pesquisa e por ela passaram 55 ganhadores do Prêmio Nobel.[6] A cada ano, forma aproximadamente 1.000 doutores, sendo que mais de um terço deles vem de outros países.[7][8] O conjunto dos estudantes inclui 10% de estrangeiros, oriundos de 130 países.[9] A Universidade de Heidelberg tem dois campi principais: um na Cidade Velha de Heidelberg e outro em Neuenheimer Feld, na periferia da cidade. Entre os ex-alunos há onze chefes de estado ou chefes de governo alemães e estrangeiros.

Ruperto I (1309-1390), Eleitor do Palatinato, fundou a Universidade de Heidelberg em 1386.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cursos oferecidos na Universidade de Heidelberg». Universidade de Heidelberg (em alemão) 
  2. Wikisource-logo.svg Herbermann, Charles, ed. (1913). «University of Heidelberg». Enciclopédia Católica (em inglês). Nova Iorque: Robert Appleton Company 
  3. «Artigo sobre Heidleberg no THES 2005» (pdf) 
  4. «When German Universities were Models for American Universities». atlanticreview.org 
  5. «Protestos estudantis em Heidelberg (em alemão)» 🔗. Ruprecht online - Homepage da Universidade de Heidelberg 
  6. «Heidelberg University Nobel Laureates» 
  7. «Graduate Academy of the University of Heidelberg» 
  8. «Entrevista com o Reitor Bernhard Eitel (em alemão)» 🔗. Rhein Neckar Zeitung online. Cópia arquivada em 11 de abril de 2008 
  9. «Heidelberg Research Magazine Ruperto Carola 1/2004». University of Heidelberg Homepage 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instituição de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.