Universidade de Heidelberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Universidade de Heidelberg Ruprecht Karl
Ruprecht-Karls-Universität Heidelberg
Latim:Ruperto Carola Heidelbergensis
Selo da Universidade de Heidelberg
Lema Semper apertus
"Sempre aberta"
Fundação 1386
Tipo de instituição Publica
Localização Heidelberg, Baden-Württemberg, Alemanha
Reitor(a) Bernhard Eitel
Total de estudantes 25.000
Afiliações Grupo Coimbra, LERU, EUA
Página oficial http://www.uni-heidelberg.de
Entrada Principal da Biblioteca da Universidade

A Universidade de Heidelberg, ou, nas suas formas portugueas, de Heidelberga ou de Edelberga, oficialmente denominada Universidade de Heidelberg Ruprecht Karl (Ruprecht-Karls-Universität Heidelberg, em alemão) é uma universidade pública alemã, das mais prestigiadas universidades do país. Está estabelecida na cidade de Heidelberg, no estado de Baden-Württemberg. Foi fundada em 1386, tendo sido a terceira universidade estabelecida no Sacro Império. Seu nome latino é Ruperto Carola Heidelbergensis.

Estudantes do sexo feminino passaram a ser admitidas em 1899. Atualmente a Universidade é constituída de doze faculdades e oferece programas de graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado em cerca de 100 disciplinas,[1] integrando o Grupo Coimbra

A universidade, criada por Ruperto I, Eleitor do Palatinato, quando Heidelberg era a capital do Palatinado, e tornou-se um centro de teólogos e especialistas em leis no Sacro Império. Durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) a universidade entrou em decadência financeira e intelectual, e só viria a se recuperar no início do século XIX,[2] convertendo-se em centro de pensamento democrático e de intelectuais humanistas independentes,[3] tendo sido adotada como modelo para universidades americanas. [4]

Durante o governo do partido nazista (1933-1945), a universidade atravessou um outro período de dificuldades e perdeu muitos dos seus professores por motivos políticos. No pós-guerra, passou por um período de desnazificação. Nos anos 1970, foi um palco de importantes manifestações de estudantes de esquerda.[5]

A universidade dá ênfase à pesquisa e por ela passaram 55 ganhadores do Prêmio Nobel.[6] A cada ano, forma aproximadamente 1.000 doutores, sendo que mais de um terço deles vem de outros países.[7][8] O conjunto dos estudantes inclui 10% de estrangeiros, oriundos de 130 países.[9] A Universidade de Heidelberg tem dois campi principais: um na Cidade Velha de Heidelberg e outro em Neuenheimer Feld, na periferia da cidade. Entre os ex-alunos há onze chefes de estado ou chefes de governo alemães e estrangeiros.

Ruperto I (1309-1390), Eleitor do Palatinato, fundou a Universidade de Heidelberg em 1386.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cursos oferecidos na Universidade de Heidelberg». Universidade de Heidelberg (em alemão) 
  2. Wikisource-logo.svg Herbermann, Charles, ed. (1913). «University of Heidelberg». Enciclopédia Católica (em inglês). Nova Iorque: Robert Appleton Company 
  3. «Artigo sobre Heidleberg no THES 2005» (pdf) 
  4. «When German Universities were Models for American Universities». atlanticreview.org 
  5. «Protestos estudantis em Heidelberg (em alemão)» 🔗. Ruprecht online - Homepage da Universidade de Heidelberg 
  6. «Heidelberg University Nobel Laureates» 
  7. «Graduate Academy of the University of Heidelberg» 
  8. «Entrevista com o Reitor Bernhard Eitel (em alemão)» 🔗. Rhein Neckar Zeitung online. Cópia arquivada em 11 de abril de 2008 
  9. «Heidelberg Research Magazine Ruperto Carola 1/2004». University of Heidelberg Homepage 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instituição de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.