Grande telescópio binocular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Grande telescópio binocular
LargeBinoTelescope NASA.jpg
Informações gerais
Tipo de telescópio telescópio óptico Edite no Wikidata
Lançamento 12 de outubro de 2005 Edite no Wikidata
Páginas Web www.lbto.org
Informações do telescópio
Localização atual Monte Graham, Arizona, Estados Unidos Editar isso no Wikidata
Coordenadas 32°42′05″N 109°53′21″O / 32.701308°N 109.889064°O / 32.701308; -109.889064Coordenadas: 32°42′05″N 109°53′21″O / 32.701308°N 109.889064°O / 32.701308; -109.889064
Altitude 3,221 m (3,221 m)
Diâmetro 8.4 m (4.9 sm)
Construido 1996–2004
Área de alcance 111 m2 (111 m2)
Distância focal 9.6 m (9.6 m)
Base da montagem montagem altazimutal
Instrumentos
Foto do LBT de 2006

O grande telescópio binocular (Large Binocular Telescope, em inglês) ou LBT será um telescópio com dois espelhos de 8,4 metros de diâmetro montados em uma base comum, situado a mais de 3.000m de altitude no Monte Graham, Arizona, Estados Unidos. O LBT é o telescópio com maior resolução óptica e o mais avançado tecnicamente do mundo, com uma resolução 10 vezes maior que a do telescópio espacial Hubble.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

Espelho primário do LBT

O telescópio consiste numa montagem de dois espelhos de 8,4 metros em base comum (binocular). O LBT usa técnicas de óptica adaptativa e óptica ativa para atingir melhor qualidade, administradas pelo observatório Arcetri. A área de recepção equivale à de um único telescópio de 11,8 metros de abertura circular, maior do que a de qualquer outro telescópio único. Além disso, um modo de interferometria estará disponível.

O LBT iniciou suas operações com um único espelho primário em 2004, quando focalizou NGC 891. A primeira observação binocular mostra uma foto em três cores falsas da galáxia espiral NGC 2770, a 102 milhões de anos-luz da Via Láctea.

Projeto[editar | editar código-fonte]

O grande telescópio binocular foi fundado por um projeto em conjunto entre vários membros, dentre eles a Comunidade Astronômica Italiana (Istituto Nazionale di Astrofisica, INAF), a Universidade do Arizona, o instituto Max Planck para astronomia, em Heidelberg, Alemanha, a Universidade de Ohio, o Instituto Astrrofísico de Potsdam (AIP), Instituto Max Plack para Física Extraterrestre em Munique, entre outros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «BBC NEWS». news.bbc.co.uk. Consultado em 6 de março de 2008  Texto " Science/Nature " ignorado (ajuda); Texto " Giant telescope opens both eyes " ignorado (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]