Granma (jornal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Granma é o jornal oficial do Comitê Central do Partido Comunista Cubano.

Granma
Periodicidade De segunda-feira à sábado
Formato Standard
Sede Havana
 Cuba
Fundação 03 de outubro de 1965 (53 anos)
Fundador(es) Partido Comunista Cubano
Presidente Partido Comunista Cubano
Diretor Pelayo Terry Cuervo
Página oficial Site oficial (em português)

Histórico[editar | editar código-fonte]

Seu nome provém de um iate denominado Granma que transportou Fidel Castro e 81 outros rebeldes, para as praias de Cuba em 1956, iniciando a Revolução Cubana.

O Granma foi fundado em 3 de outubro de 1965 e nasceu da união de outros dois jornais: os matutinos Revolución e o Hoy.

A primeira edição do jornal data de 4 de outubro daquele ano, dia em que o PURSC mudou o seu nome para Partido Comunista Cubano (PCC).

Edições[editar | editar código-fonte]

Um leitor de Granma

O jornal tem publicação diária e é amplamente lido. Dispõem de várias edições em outras línguas, que são editadas semanalmente em espanhol, português, inglês, francês, italiano e alemão, e que também são distribuídos para fora do país.

O jornal Granma apresenta regularmente as seguintes notícias:

  • Discursos de Fidel Castro e de outros líderes do governo de Cuba.
  • Anúncios oficiais do governo cubano.
  • Ressalta a participação popular na história de Cuba, na implementação da revolução, indo do século 19 ao século 20.
  • Análises da América Latina e da política mundial.
  • Declarações de trabalhadores e camponeses de Cuba na defesa e na implementação da revolução socialista.
  • Notícias sobre o desenvolvimento industrial, agrícola, científico, das artes e dos esportes de Cuba.
  • Apresenta a programação do dia da televisão.

Notas[editar | editar código-fonte]

  • As edições normais são publicada nos seis dias da semana (exceto aos domingos) e o jornal normalmente possui oito páginas com algum eventual suplemento.
  • Recentes suplementos abordaram a aquisição de vans e caminhões da China e sobre a Copa do Mundo de 2006.

Diretores[1][editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Granma, nuestro barco de papel». Unión de Periodistas de Cuba. 11 de junho de 2014. Consultado em 11 de abril de 2015.  |arquivourl= é mal formado: timestamp (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]