Gruta do Bacaetava

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Entrada da Gruta.

A Gruta do Bacaetava, anteriormente grafada como Gruta do Bacaitava[1], é uma gruta do município de Colombo, no estado brasileiro do Paraná. Se encontra próxima à rodovia estadual PR-417, fazendo parte do Circuito Italiano de Turismo Rural de Colombo.[2]

Descoberta entre o final do século XIX e início do século XX dentro das terras de propriedade do italiano Antônio Gasparin, durante a Segunda Guerra Mundial foi refugio de descendentes italianos que fugiam de perseguições e do alistamento. Após Gasparin doar o terreno e a gruta para a Igreja matriz de Colombo e esta repassá-los para a Santa Casa de Misericórdia de Colombo, em 2000 o município comprou e transformou o local no Parque Natural Municipal Gruta do Bacaetava, que hoje é uma das principais atrações turísticas da cidade.[3]

Topografia[editar | editar código-fonte]

A gruta foi formada pela ação do Rio Bacaetava, que ainda corre pelo seu interior no sentido leste-oeste, ao longo de 600 milhões de anos.[2] Foi uma das primeiras cavernas a serem mapeadas no Paraná, com seu primeiro levantamento publicado em 1965 por P. A. Martin e C. M. Castro.[4] Em 1976, um novo mapeamento foi realizado, dividindo a gruta em "Bacaitava I" e "Bacaitava II", uma galeria superior de difícil acesso. Em 1994, um estudo do Grupo de Estudos Espeleológicos do Paraná - Açungui concluiu se tratar de apenas uma caverna, pois foi descoberta uma conexão interna entre as duas galerias. Alguns anos mais tarde, o GEEP - Açungui realizou um novo mapeamento da caverna, em preparação à implantação de estruturas de visitação na caverna, definidas em um plano de manejo e fazendo parte do recém-criado Parque Natural Municipal Gruta do Bacaetava.[1]

Referências

  1. a b «Mapeamento Topográfico e Geoespeleológico da Gruta do Bacaetava, Colombo -PR/Brasil» (PDF). Sociedade Brasileira de Espeleologia. Anais do 26º Congresso Brasileiro de Espeleologia. Consultado em 11 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada (PDF) em 9 de fevereiro de 2020 
  2. a b Bordin, Laura Beal. «Conheça a gruta que fica a 30 minutos de Curitiba e tem visitação gratuita». clube.gazetadopovo.com.br. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  3. Miranda, Cahuê (21 de abril de 2013). «Gruta na RMC chama a atenção dos turistas». Tribuna Paraná Online. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  4. Martin, P. A.; Castro, C. M. (1965). «Mapeamento Topográfico das Grutas do Bacaitava». Espeleo Club de Londrina 
Ícone de esboço Este artigo sobre cavernas brasileiras é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.