Guerrilla Girls

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Guerrilla Girls
Guerrilla Girls - V&A Museum, London.jpg

Duas Guerrilla Girls em Londres, em frente a um dos seus trabalhos.

História
Fundação
Quadro profissional
Tipo
Coletivo de artistas, pseudônimo coletivoVisualizar e editar dados no Wikidata
Movimento
Arte feminista (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Propósito
Arte de denúncia
Sede social
País
Língua
Organização
Orientação política
Website

Guerrilla Girls é um grupo de artistas feministas anônimas cujo objetivo é combater o sexismo e o machismo no mundo da arte.[1] O grupo foi formado em Nova York em 1985, tendo a missão de trazer a público a desigualdade de gênero e raça dentro da comunidade artística. Para manter o anonimato, os membros do grupo vestem máscaras e utilizam pseudônimos que se referem a mulheres artistas falecidas. De acordo com GG1, as identidades são mantidas em segredo porque os problemas importam mais que identidades: "No geral, queríamos que o foco estivesse nos problemas, não nas nossas personalidades ou nos nossos próprios trabalhos."[2].

Entre setembro de 2017 e fevereiro de 2018 foi realizada uma exposição das Guerrilla Girls no Museu de Arte de São Paulo, a primeira exposição retrospectiva do grupo no Brasil.[3]

Referências

  1. Emma Brockes (29 de abril de 2015). «The Guerrilla Girls: 30 years of punking art world sexism». The Guardian. Consultado em 15 de abril de 2017 
  2. Guerrilla Girls. «Confessions Interview». Consultado em 15 de abril de 2017 
  3. MASP. «Exposição "GUERRILLA GIRLS: GRÁFICA, 1985-2017"». Consultado em 17 de novembro de 2019