Haliotis parva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaHaliotis parva
Concha de H. parva, vista por cima.
Concha de H. parva, vista por cima.
Concha de H. parva, vista por baixo.
Concha de H. parva, vista por baixo.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Clado: Vetigastropoda
Classe: Gastropoda
Superfamília: Haliotoidea
Família: Haliotidae
Género: Haliotis
Linnaeus, 1758[1]
Espécie: H. parva
Nome binomial
Haliotis parva
Linnaeus, 1758[1]
Sinónimos
Haliotis cingulata Röding, 1798
Haliotis rubicunda Röding, 1798
Haliotis canaliculata Fischer von Waldheim, 1807
Padollus rubicundus Montfort, 1810
Haliotis rubicunda (Montfort, 1810)
Haliotis canaliculata Lamarck, 1822
Haliotis carinata Swainson, 1822
Haliotis kraussi Turton, 1932
(WoRMS)[1]

Haliotis parva (em inglês canaliculate abalone)[2] é uma espécie de molusco gastrópode marinho pertencente à família Haliotidae. Foi classificada por Linnaeus, em 1758. É nativa do sul da África.[1][3][4]

É uma das cinco espécies do gênero Haliotis quase totalmente endêmicas da costa da África do Sul: Haliotis alfredensis, H. midae, H. parva, H. queketti e H. spadicea.[5]

Descrição da concha[editar | editar código-fonte]

Haliotis parva apresenta concha oval e moderadamente funda, com sulcos espirais em sua superfície, atravessados por moderadamente rugosas estrias de crescimento. Possuem a área central de sua espiral elevada, formando uma dobra (daí provindo denominações científicas como canaliculata, dadas em 1807 e 1822, e carinata, ambas agora em desuso).[3][1] Chegam de 4[2] até 6 centímetros e são de coloração marmoreada, em creme e marrom, até avermelhada; podendo existir exemplares totalmente albinos ou em laranja forte.[3][6] Os furos abertos na concha, de 5 a 6,[2] são circulares e, por vezes, elevados.[7] Região interna madreperolada, iridescente, apresentando o relevo da face externa visível.[3][6][8]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Haliotis parva ocorre em águas rasas da zona entremarés, entre as rochas,[2] no sul da África do Sul e na costa de Angola (África).[1][3][4]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g «Haliotis parva» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 16 de maio de 2016 
  2. a b c d ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 21. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  3. a b c d e Caro, Olivier. «Haliotis parva» (em inglês). Idscaro. Consultado em 16 de maio de 2016 
  4. a b Galli, Claudio. «Family: HALIOTIDAE» (PDF) (em inglês). WMSDB - Worldwide Mollusc Species Data Base. 1 páginas. Consultado em 16 de maio de 2016 
  5. Bester-van der Merwe, Aletta E; D'Amato, María Eugenia; Swart, Belinda L.; Roodt-Wilding, Rouvay (outubro de 2012). «Haliotis; morphological appearance of the five endemic South African species (article: Molecular phylogeny of South African abalone, its origin and evolution as revealed by two genes)» (em inglês). ResearchGate. 1 páginas. Consultado em 22 de maio de 2016 
  6. a b «Haliotis parva» (em inglês). Gastropods. 1 páginas. Consultado em 16 de maio de 2016 
  7. leechitse (4 de outubro de 2013). «Haliotis parva 38.89mm 淺溝鮑螺 B» (em chinês). Flickr. 1 páginas 
  8. «Haliotis parva» (em inglês). ViaNet Conchology. 1 páginas