Heitor da Silva Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Heitor da Silva Costa (Rio de Janeiro, 25 de julho de 1873 — Rio de Janeiro, 21 de abril de 1947) foi um engenheiro brasileiro e autor de um dos maiores monumentos do Brasil, o Cristo Redentor.

Engenheiro e professor da Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1914). Dedicou-se à construção de vários edifícios, igrejas e monumentos religiosos: monumentos ao Barão do Rio Branco, Imperador D. Pedro II, Pasteur.

Responsável pelo Cristo Redentor, (1923), o qual ganhou o Prêmio Paulo de Frontin (do Clube de Engenharia); em Petrópolis foi responsável pela construção da Catedral São Pedro de Alcântara, da Capela do Colégio Notre Dame de Sion, no Rio, em 1940; do Trono de Fátima, em Petrópolis, inaugurado em 1947, entre outros.

Existe um raro livro contando sobre sua história chamado "O Rio Maravilhoso", de Amândio Soares.[carece de fontes?]

No Cristo Redentor as pedras de sabão originais foram todas coladas a partir de pedaços por senhoras e senhoritas do Rio de Janeiro. A maior parte, ou toda a verba [carece de fontes?], foi doada por fiéis. O real criador do projeto do Cristo Redentor foi o próprio, não como dizem mitos que teria sido o escultor francês de origem polonesa Paul Landowski. Apenas uma réplica de quatro metros feita de pequenos moldes e modelos das mãos foram feitos pelo colaborador. Todos os fatos, além de outros, foram comprovados pelo programa de televisão Detetives da História produzido pelo History Channel.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.