Henrique de Figueiredo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde agosto de 2015). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

Henrique de Figueiredo foi um poeta e escrivão português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Poeta do Cancioneiro, foi Moço da Guarda-Roupa, Escudeiro Fidalgo e Cavaleiro Fidalgo da Casa de D. Afonso V de Portugal.

A 16 de Janeiro de 1464 teve mercê da Escrivaninha (Escrivão) da Fazenda Real.

Casou com Catarina Álvares, filha de João Álvares, «home rico e honrado» de Santarém, documentado como Cavaleiro da Casa Real e morador em Santarém, quando a 16 de Fevereiro de 1471 tem, da sua tença de 25.000 reais, autorização real para dar dela 10.000 reais a sua filha Catarina Álvares pelo seu casamento com Henrique de Figueiredo, com geração nos de Figueiredo, Senhores do Morgado da Ota.

A 16 de Março de 1473 teve mercê real de bens móveis e de raiz em Freixo de Espada à Cinta.

A 10 de Maio de 1475 tem mercê real da lezíria de Alcoelha e a 4 de Setembro de 1475 das lezírias que estão no Tejo à ponte de Almada, junto com a Azinhaga.

A 24 de Outubro de 1475 passa o ofício de Escrivão da Fazenda Real a seu Pajem Rodrigo. Recebendo nesse ano a mercê da jugada dos linhos, canimos e galegos, bem como os direitos reais da vila de Santarém e seu termo.

A 2 de Dezembro de 1482 recebe a mercê das rendas de Alpiarça.

A 25 de Janeiro de 1490 tem Carta de Privilégio de Fidalgo porque vai servir na guerra.

Este Henrique de Figueiredo e seu filho Rui de Figueiredo aforam umas casas em Lisboa a 5 de Setembro de 1501.

Jaz com sua mulher na Igreja Velha de São Bento de Xabregas, na Capela do Nascimento.

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um poeta ou uma poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.