Henry Cowell

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Henry Cowell
Nascimento 11 de março de 1897
Menlo Park
Morte 10 de dezembro de 1965 (68 anos)
Nova Iorque
Cidadania Estados Unidos
Cônjuge Sidney Robertson Cowell
Alma mater Universidade da Califórnia em Berkeley
Ocupação compositor, musicólogo, teórico musical, pianista
Prêmios Bolsa Guggenheim
Empregador Universidade Columbia

Henry Cowell (11 de março de 1897 - 10 de dezembro de 1965) foi um compositor, teórico musical, pianista, professor, editor e empresário estadunidense.

Vida[editar | editar código-fonte]

Tendo entrado em contato com a música não europeia desde muito jovem, Cowell, nascido na Irlanda, formou-se principalmente como pianista e compositor autodidata. A partir de 1914, ele estudou na Universidade da Califórnia com Charles Seeger. Na década de 1920, ele fez viagens anuais pela América do Norte e Europa, onde foi apresentado à jovem pianista Grete Sultan por Richard Buhlig em Berlim em 1923 ; uma colaboração intensiva começou. Em 1929 foi o primeiro compositor americano a visitar a União Soviética. Em 1931, ele completou seu treinamento estudando musicologia comparativa em Berlim com Erich von Hornbostel, no mesmo ano deu também um concerto na Bauhaus de Dessau. Em uma viagem de estudos pela Ásia, ele ensinou nas academias de música de Teerã e Madras. Na época, ele era professor da Columbia University em Nova York. Seus alunos incluíam John Cage e Lou Harrison. Cowell também trabalhou como publicitário e editor da New Music Edition, uma plataforma para a nova música americana.

Cowell foi preso na Prisão Estadual de San Quentin de 1936 a 1940 por atos homossexuais. Ele continuou a compor na prisão. Em 1940 ele foi colocado aos cuidados do compositor e pianista Percy Grainger e perdoado em 1942.[1]

Cowell experimentou com clusters desde o início e desenvolveu a técnica do piano de cordas, em que as cordas do piano são diretamente dedilhadas, limpas, raspadas ou arranhadas, abrindo assim o caminho para o piano preparado por John Cage. O desenvolvimento artístico de Grete Sultan também foi decisivamente moldado por Cowell. Junto com Joseph Schillinger, ele projetou o Rhythmicon, que foi construído em 1931 pelo russo Leon Theremin e possibilitou a geração automática de ritmos. Junto com Charles Ives, Charles Ruggles, John J. Becker e Wallingford Rieggerele é contado entre o grupo de compositores de vanguarda dos Cinco Americanos.

Cowell compôs 19 sinfonias principalmente programáticas e outras obras sinfônicas, incluindo dois concertos para koto, um para percussão e um concerto de acordeão, uma suíte para piano e orquestra de câmara, numerosas obras de música de câmara, coros e canções. Ele também publicou ensaios sobre teoria musical. De 1927 a 1936, ele publicou a revista New Music Quarterly.

Em 1951 foi eleito membro da Academia Americana de Artes e Letras.[2] Cowell foi de 1941 até sua morte em 1965 com o etnógrafo e antropólogo Sidney Robertson Cowell casado.

Sinfonias[editar | editar código-fonte]

  • Sinfonia nº 1 em Si menor, 1918 (revisado em 1922, 1940)[3]
  • Sinfonia nº 2, 'Anthropos', 1938
  • Sinfonia nº 3, 'Gaelic' para banda e cordas 1942
  • Sinfonia nº 4, 'Short Symphony' 1946
  • Sinfonia nº 5, 1948
  • Sinfonia nº 6, 1952
  • Sinfonia nº 7, 1952
  • Sinfonia nº 8 para orquestra, com coro misto e solo de contralto opcional, 1952
  • Sinfonia nº 9, 1953
  • Sinfonia nº 10 para orquestra de câmara, 1953
  • Sinfonia nº 11, 'Seven Rituals of Music', 1953
  • Sinfonia nº 12, 'Pere Marquette', 1956
  • Sinfonia nº 13, 'Madras', 1958
  • Sinfonia nº 14, 1960
  • Sinfonia nº 15, 'Tese', 1960
  • Sinfonia nº 16, 'islandês', 1962
  • Sinfonia nº 17, 'Lancaster' 1962
  • Sinfonia nº 18, 1964
  • Sinfonia nº 19, 1965
  • Sinfonia nº 20, 1965
  • Sinfonia nº 21, 1965 (esboços concluídos por Lou Harrison)[4]

Discografia selecionada[editar | editar código-fonte]

Gravações de Cowell[editar | editar código-fonte]

  • Henry Cowell: Piano Music (Smithsonian Folkways 40801) - apresentações de vinte de suas composições para piano solo, incluindo Dynamic Motion, The Tides of Manaunaun, Aeolian Harp, The Banshee e Tiger, e uma faixa de comentário (álbum retratado no artigo)
  • Tales of Our Countryside (American Columbia 78rpm Set X 235, gravado em 5 de julho de 1941) - a All-American Youth Orchestra dirigida por Leopold Stokowski, com Cowell como solista de piano

Outras gravações selecionadas de suas obras[editar | editar código-fonte]

  • American Piano Concertos: Henry Cowell (col legno 20064) - peças para grandes conjuntos, incluindo Concerto para Piano e Orquestra e Sinfonietta, bem como The Tides of Manaunaun e outras peças para piano solo; interpretada pela Saarbrücken Radio Symphony Orchestra, Michael Stern - diretor, Stefan Litwin - piano
  • The Bad Boys !: George Antheil, Henry Cowell, Leo Ornstein (hatHUT 6144) - peças para piano, incluindo Anger Dance, The Tides of Manaunaun e Tiger ; interpretada por Steffen Schleiermacher
  • Dançando com Henry (modo 101) —solo e peças de câmara, incluindo duas versões de Ritournelle (Larghetto); tocada pelo California Parallèle Ensemble, Nicole Paiement - maestrina e diretora, Josephine Gandolfi - piano
  • Henry Cowell (Primeira Edição 0003) - peças orquestrais, incluindo Ongaku e Tese (Sinfonia Nº 15); executada pela Louisville Orchestra, Robert S. Whitney e Jorge Mester - maestros
  • Henry Cowell: A Continuum Portrait, vol. 1 (Naxos 8.559192) e Vol. 2 (Naxos 8.559193) - peças de solos, de câmara, vocais e de grande conjunto; realizada por Continuum, Cheryl Seltzer e Joel Sachs - diretores
  • Henry Cowell: Mosaic (modo 72/73) - peças de solo e câmara, incluindo Quartet Romantic, Quartet Euphometric, Mosaic Quartet (String Quartet No. 3), Return e três versões de 26 Simultaneous Mosaics ; realizada pelo Colorado String Quartet e Musicians Accord
  • Henry Cowell: Persian Set (Composers Recordings Inc. CRI-114 gravado em abril de 1957 e reeditado na Citadel CTD 88123) —Quatro movimentos para Orquestra de Câmara, Leopold Stokowski — maestro
  • Henry Cowell: Persian Set (Koch 3-7220-2 HI) - peças orchestrais e de grande conjunto, incluindo Hymn and Fuguing Tune No. 2 ; realizada pela Orquestra de Câmara de Manhattan, Richard Auldon Clark - maestro
  • New Music: Piano Compositions de Henry Cowell (New Albion 103) - peças de piano para solos, incluindo Dynamic Motion, The Tides of Manaunaun, Aeolian Harp e Tiger ; realizada por Chris Brown, Sorrel Hays e outros
  • Songs of Henry Cowell (Albany – Troy 240) - incluindo How Old Is Song?, Music I Heard e Firelight and Lamp ; interpretada por Mary Ann Hart - meio-soprano, Robert Osborne - baixo-barítono, Jeanne Golan - pianista

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Henry Cowell | American composer». Encyclopedia Britannica (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  2. «Search Results for "Henry Cowell" – American Academy of Arts and Letters» (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2021 
  3. Lichtenwanger. «The Music of Henry Cowell, a Descriptive Catalogue» 
  4. Neil Butterworth (2013). Dictionary of American Classical Composers. [S.l.: s.n.] p. 98. ISBN 9781136790232 
Fontes[editar | editar código-fonte]
  • Bartok, Peter, Moses Asch, Marian Distler, and Sidney Cowell; revised by Sorrel Hays (1993 [1963]). Liner notes to Henry Cowell: Piano Music (Smithsonian Folkways 40801).
  • Boziwick, George (2000). "Henry Cowell at the New York Public Library: A Whole World Of Music," Notes [Music Library Association], 57.1 (available online).
  • Bredow, Moritz von. 2012. "Rebellische Pianistin. Das Leben der Grete Sultan zwischen Berlin und New York." (Biography, in German. Contaomns many links to Henry Cowell and his work). Schott Music, Mainz, Germany. ISBN 978-3-7957-0800-9
  • Cage, John (1959). "History of Experimental Music in the United States" (available online), in Silence (1971 [1961]), pp. 67–75. Middletown, Conn.: Wesleyan University Press. ISBN 0-8195-6028-6
  • Cowell, Henry (1993 [1963]). "Henry Cowell's Comments: The composer describes each of the selections in the order in which they appear." Track 20 of Henry Cowell: Piano Music (Smithsonian Folkways 40801).
  • Gann, Kyle (1995). The Music of Conlon Nancarrow. Cambridge, New York, and Melbourne: Cambridge University Press. ISBN 0-521-02807-8
  • Harrison, Lou (1997). "Learning from Henry," in The Whole World of Music: A Henry Cowell Symposium, ed. Nicholls; pp. 161–167.
  • Hicks, Michael (2002). Henry Cowell, Bohemian. Urbana: University of Illinois Press. ISBN 0-252-02751-5
  • Kirkpatrick, John, et al. (1997 [1988]). 20th-Century American Masters: Ives, Thomson, Sessions, Cowell, Gershwin, Copland, Carter, Barber, Cage, Bernstein. New York and London: W. W. Norton. ISBN 0-393-31588-6
  • Lichtenwanger, William (1986). The Music of Henry Cowell: A Descriptive Catalogue. Brooklyn, N.Y.: Brooklyn College Institute for Studies in American Music. ISBN 0-914678-26-4
  • Mead, Rita H. (1981). Henry Cowell's New Music, 1925–1936. Ann Arbor, Mich.: UMI Research Press (excerpted online). ISBN 0-8357-1170-6
  • Miller, Leta H., and Rob Collins (2005). "The Cowell-Ives Relationship: A New Look at Cowell's Prison Eyes." American Music 23, no. 4 (Winter): 473–92 (available online).
  • Nicholls, David (1991 [1990]). American Experimental Music 1890–1940. Cambridge, New York, and Melbourne: Cambridge University Press. ISBN 0-521-42464-X
  • Nicholls, David, ed. (1997). The Whole World of Music: A Henry Cowell Symposium. Amsterdam: Harwood Academic Press. ISBN 90-5755-003-2
  • Nicholls, David, ed. (1998). The Cambridge History of American Music. Cambridge, New York, and Melbourne: Cambridge University Press. ISBN 0-521-45429-8
  • Oja, Carol J. (1998). Liner notes to Henry Cowell: Mosaic (Mode 72/73).
  • Oja, Carol J. (2000.) Making Music Modern: New York in the 1920s. New York: Oxford University Press. ISBN 0-19-505849-6
  • Sollberger, Harvey (1992 [1974]). Liner notes to Percussion Music: Works by Varèse, Colgrass, Saperstein, Cowell, Wuorinen (Nonesuch 9 79150-2).
  • Sublette, Ned (2004). Cuba and Its Music: From the First Drums to the Mambo. Chicago: Chicago Review Press. ISBN 1-55652-516-8
  • Thomson, Virgil (2002). Virgil Thomson: A Reader—Selected Writings 1924–1984. Edited by Richard Kostelanetz. New York and London: Routledge. ISBN 0-415-93795-7

Leitura Adicional[editar | editar código-fonte]

  • Carwithen, Edward R. (1991). Henry Cowell: Composer and Educator. Ph.D. dissertation. Gainesville: University of Florida.
  • Cowell, Henry, and Sidney Cowell (1981 [1955]). Charles Ives and His Music. New York: Da Capo. ISBN 0-306-76125-4.
  • Cowell, Henry (1996 [1930]). New Musical Resources. Annotated, with an accompanying essay, by David Nicholls. Cambridge, New York, and Melbourne: Cambridge University Press. ISBN 0-521-49974-7.
  • Cowell, Henry (2002). Essential Cowell: Selected Writings on Music, edited, with an introduction, by Dick Higgins, preface by Kyle Gann. Kingston, N.Y.: McPherson. ISBN 0-929701-63-1
  • Galván, Gary (2006). "Cowell in Cartoon: A Pugilistic Pianist's Impact on Pop Culture." Hawaii International Conference on Arts and Humanities, January 11–14, 2006, Conference Proceedings. ISSN 1541-5899.
  • Galván, Gary (2007). Henry Cowell in the Fleisher Collection. Ph.D. dissertation. Gainesville: University of Florida.
  • Johnson, Steven (1993). "Henry Cowell, John Varian, and Halcyon." American Music 11, no. 1 (Spring): 1-27.
  • Sachs, Joel (2012). Henry Cowell: A Man Made of Music. Oxford: Oxford University Press. ISBN 978-0-19-510895-8.
  • Saylor, Bruce (1977). The Writings of Henry Cowell: A Descriptive Bibliography. Brooklyn, N.Y.: Brooklyn College Institute for Studies in American Music. ISBN 0-914678-07-8
  • Spilker, John D. (2010). "Substituting a New Order": Dissonant Counterpoint, Henry Cowell, and the Network of Ultra-Modern Composers. Ph.D. dissertation, Tallahassee: Florida State University.

Links externos[editar | editar código-fonte]

Arquivos (em inglês)[editar | editar código-fonte]

Outros (em inglês)[editar | editar código-fonte]

Ouvir[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.