Hinos e Cânticos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Hinos E Cânticos[1] é o segundo hinário de origem cristã e evangélica publicado no Brasil. Sua primeira edição era composta por 46 hinos e foi compilada em 1876 por Richard Holden. Atualmente está em sua 18ª edição com 686 hinos e tem os seus direitos reservados à Associação Cristã Editora.

História[editar | editar código-fonte]

Sua primeira edição foi produzida por Richard Holden e veio à lume em 1876 com o nome "Himnos e Cânticos Espirituaes". Era uma pequena coletânea de 46 números, na forma de 38 hinos e 8 cânticos espirituais. Em 1879 surgia a 2ª edição, já com 72 hinos e 14 cânticos.

Stuart Edmund McNair e George Howes assumiram a responsabilidade de continuar a obra iniciada por Holden, e publicaram, em 1898, a 3ª edição, revista e consideravelmente aumentada, pois continha 205 hinos mais ou menos agrupados em três seções: Evangelização, Experiência Cristã e Adoração.

A partir dali as edições foram-se sucedendo, em cada uma das quais os talentosos compiladores incluíam novos cânticos e multiplicavam correções visando o aperfeiçoamento do texto.

Já na sétima edição, publicada em 1931, além dos hinos de Holden, McNair e Wright, outros hinos de William Anglin vieram enriquecer a coleção. Ele deu sua valiosa cooperação à primeira edição com música, em 1939, a qual coincidiu com a nona edição do hinário com letra. Dali em diante ele teve uma participação cada vez mais ativa na vida do hinário até seu falecimento.

Assumiram também a responsabilidade, mais tarde, Albert Clayton, José Ilídio Freire, Kenneth Jones; e a partir dos anos 70 passou a contar com a participação de Richard David Jones, James Dickie Crawford e Luiz Soares. Em 1976 a referida comissão fundou a Associação Cristã Editora, que assumiu os direitos de Hinos e Cânticos, tendo em vista um melhor amparo legal da coletânea de hinos.

Até o ano de 1939, Hinos e Cânticos Espirituais não possuía música. Os cristãos que o usavam, quando queriam encontrar as músicas dos hinos que cantavam, tinham que recorrer a outros hinários, bem como a folhas avulsas. Em 1933, Stuart Edmund McNair fundou em Teresópolis, Rio de Janeiro, a Casa Editora Evangélica, onde foi possível imprimir a primeira edição de "Hinos e Cânticos com Música".

Edições[editar | editar código-fonte]

Tabela com o resumo das edições documentadas do hinário. As letras "L" e "M" entre parênteses após o número da edição indicam, nessa ordem, uma edição com "letra" ou "música".

Edição Ano Qtde. de Hinos Local Observações
1ª (L) 1876 46 ? Holden
2ª (L) 1879 86 ? Holden
3ª (L) 1898 205 ? McNair e Howes
7ª (L) 1931 ? ?
9ª (L) 1939 ? ? Anglin
1ª (M) 1939 ? ? Anglin

Origem dos Hinos[editar | editar código-fonte]

Hinos e Cânticos contém diversos hinos cristãos compostos entre os séculos 16 e 20, presentes em outros hinários evangélicos, porém em diferentes versões. Há também letras e melodias feitas originalmente por membros notáveis do Movimento dos Irmãos no Brasil, tais como Stuart Edmund McNair, William Anglin, Richard Holden e Kenneth Leslie Cox.

Hinos e Cânticos com Música[editar | editar código-fonte]

Os hinários com notação musical seguem o modelo europeu, contendo a Clave de Sol (soprano e contralto) e a Clave de Fá (tenor e baixo). Há também uma coletânia adaptada para o violão contendo cifras em tons mais baixos, para facilitar o canto congregacional, publicada em 2017 pela Associação Cristã Editora.

Referências