Iacutos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Iacutos
População total

~ 450 mil

Regiões com população significativa
Rússia, outros

RússiaRússia:
  451 000

CazaquistãoCazaquistão:
  989

Estados UnidosUSA:
  1 370

FrançaFrança:
  522

AustráliaAustrália:
  178

AlemanhaAlemanha:
  734

CanadáCanadá:
  1 011

Línguas
iacuto, russo
Religiões
Ortodoxa Russa ( maioria) xamanismo ( minoria)
Mulher sakhalar, com adereços tradicionais

Os iacutos (em iacuto, Сахалар, transl. Sakhalar), autodenominados Sakhalar, são um povo turcomano[1] que habita principalmente a República da Iacútia (ou Sakha), na Federação Russa.

Língua[editar | editar código-fonte]

A língua iacuta faz parte do ramo siberiano das línguas turcomanas (ou túrquicas). São cerca de 450 mil falantes (Censo Russo 2002), localizados principalmente na Iacútia (442 mil ou 39% da população da Iacútia naquele ano), e também nos oblasts de Amur, no Magadan, na ilha de Sacalina e nos okrug (distrito) autônomos de Taymyria e Evenkia.[2] A participação dos iacutos na população da região reduziu-se durante o domínio soviético, em função de migrações forçadas e das políticas de relocação, mas, nos últimos anos, voltou a crescer. Em função do número de falantes, a língua iacuta não se encontra em tão grande risco de extinção quanto outros idiomas falados na Federação Russa.

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

Os iacutos dividem-se em dois grupos, segundo a atividade econômica e a localização geográfica. Os do norte levam uma vida de caçadores, pescadores seminômades. São criadores de iaques e renas. Os do sul dedicam-se à criação de cavalos e de gado.[3]

Origem[editar | editar código-fonte]

Os iacutos migraram originalmente da Ilha Olkhon e da região do Lago Baikal para as bacias dos rios Lena, Aldan e Vilyuy, onde se miscigenaram com outros povos indígenas do norte da Rússia, como os evens e evenkis.

Por volta da segunda década do século XVII, os russos iniciaram a ocupação do território. Anexaram a Iacútia, impuseram impostos sobre as peles e tiveram que sufocar várias rebeliões dos iacutos, entre 1634 e 1642. A descoberta de ouro e, mais tarde, a construção da Ferrovia Transiberiana atraíram cada vez mais russos para a região. Na década de 1820, a maioria dos iacutos já se havia convertido à religião ortodoxa russa, embora ainda mantivessem muitas das práticas do xamanismo. .

Em 1919 o novo governo soviético denominou a região como República Socialista Soviética da Iacútia.

Mitologia[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Leontˀeva, Sargylana (2002) " "Comments on Ойуун Уол 'shaman fellow': a Yakut historical legend." In John M. Clifton e Deborah A. Clifton (eds.), Comments on discourse structures in ten Turkic languages p. 287-291. St. Petersburg, Rússia: SIL International.
  • International Business Publications (ed.) (2001) Sakha Yakut Republic Regional Investment and Business Guide (US Government Agencies Business Library) (3rd ed.) International Business Publications, USA, ISBN 0-7397-9012-9
  • Opyt Etnograficheskogo Issledovaniya (ed.) (1993) Yakuty (texto em russo, c/ ilustrações). Opyt Etnograficheskogo Issledovaniya, Moscow.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Iacutos