Ilha Sentinela do Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ilha Sentinela do Norte
Nth Sentinel locale.png
Localização da ilha no oeste das Ilhas Andamão
11° 33' N 92° 14' E
Geografia física
País  Índia
Localização Oceano Índico
Arquipélago Ilhas Andamão
Ponto culminante 122 m
Área 72  km²
Geografia humana
População entre 250 e 300
North Sentinel Island.jpg

A Ilha Sentinela do Norte é uma das ilhas do arquipélago das Andamão, na baía de Bengala. Encontra-se a oeste da parte sul da Ilha Andamão do Sul. A maior parte da ilha é coberta por florestas. A pequena ilha localiza-se longe dos principais assentamentos da Andamão, cercada por recifes de coral e carente de portos naturais[1].

Um grupo de indígenas, os Sentineleses vivem no norte da ilha. A sua população é estimada entre 40 e 500 indivíduos. Os Sentineleses são extremamente hostis, rejeitando qualquer contato com outras pessoas. Curiosamente, estão entre os últimos seres humanos a permanecer praticamente, ou melhor, completamente intocados pela civilização moderna.

História[editar | editar código-fonte]

O povo Onge estava ciente da existência da Ilha Sentinela do Norte, cujo nome tradicional é Chia daaKwokweyeh.[2] Eles também têm fortes semelhanças culturais com o pouco que tem sido remotamente observado entre os Sentineleses. No entanto os Onge que foram levados para a Ilha Sentinela do Norte pelos britânicos durante o século XIX e mais tarde por volta de 1980 não conseguiram entender a língua dos Sentineleses.[2]

A primeira menção conhecida sobre a Ilha Sentinela do Norte foi feita em 1771 pelo agrimensor britânico John Ritchie, que observou "uma infinidade de luzes" a partir de um navio de pesquisa hidrográfica da Companhia das Índias Orientais[3].

Geografia[editar | editar código-fonte]

Antes do Sismo e tsunami do Oceano Índico de 2004 a Ilha Sentinela do Norte tinha cerca de 72 km² e um formato mais ou menos quadrado. Recifes de corais se estendiam ao redor da ilha a uma distância entre 800 e 1.300 metros da costa. A Ilha Constança, localizava-se a cerca de 600 metros ao lado da costa sudeste, na borda do recife.

Além de aumentar a área da ilha, o terremoto de 2004 inclinou a placa tectônica sob ela, levantando-o entre 1 e 2 metros. Grandes extensões de recifes de coral ao redor foram expostos e tornaram-se terra ou rasas lagoas permanentemente secos, estendendo os limites da ilha todo em até 1 km, a oeste e sul. A ilha Constança uniu-se com a Ilha Sentinela e hoje perfazem uma ilha só[4].

Status político[editar | editar código-fonte]

Oficialmente, a ilha foi administrada pela Índia como parte do Território de Andamão e Nicobar desde 1947, no entanto, porque nunca houve qualquer aliança com o povo da ilha, ela existe em um estado de limbo curioso sob a lei internacional estabelecida e pode ser visto como uma entidade soberana sob proteção indígena. É portanto, de facto, uma das regiões autónomas da Índia.

O governo de Andamão e Nicobar declarou em 2005 que não têm nenhuma intenção de interferir no estilo de vida ou habitat dos Sentineleses e não está interessado em prosseguir qualquer contato com eles[5].

Referências

  1. NAYADE, Priscila. Áreas habitadas por povos indígenas. Jornal Ciência. Disponível em [1]. Acesso em agosto de 2014
  2. a b Pandya, Vishvajit (2009). In the Forest. Visual and Material Worlds of Andamanese History (1858-2006) (em inglês). [S.l.]: University Press of America. 362 páginas. ISBN 9780761842729 
  3. Portugal Mundial. Ilha Sentinela do Norte, o Lugar Mais Hostil do Mundo. Disponível em [2]. Acesso em agosto de 2014
  4. Mundo Gump. Ilha Sentinela do Norte - O paraíso infernal. Disponível em [3]. Acesso em agosto de 2014
  5. PERNAMBUCO. Aline de Moraes. Conheça o povo mais misterioso, isolado e hostil da Terra. Disponível em [4]. Acesso em agosto de 2014