Indira Mateta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Indira Mateta (Luanda, 1985) é uma fotógrafa, artista plástica e ativista angolana.[1][2][3][4]

Indira Mateta
'
Nascimento Luanda
Cidadania Angola
Ocupação fotógrafa, artista visual,

Biografia[editar | editar código-fonte]

Indira Mateta é uma fotógrafa angolana e artista plástica, nascida em 1985 em Luanda. Formada em Relações Internacionais pelo Instituto Superior de Relações Internacionais de Angola, a artista também se auto-intitula ativista capilar, reinvidicando a valorização do cabelo natural entre pessoas de Angola e pessoas pretas no geral.[5]

Apesar de ter interesse pelas artes visuais desde muito nova, teve seu primeiro incentivo através de sua colega Francisca Meireles que comercializava camisas com seus desenhos. Em 2015, Francisca lhe deu material para que pudesse fazer sua arte. A partir disso, expandiu as superfícies de pintura com as quais trabalhava, da camisa para materiais como tela, vidro e porcelana.[5]

Ativismo[editar | editar código-fonte]

Em 2013 foi uma das organizadoras da iniciativa One Billion Rising em Luanda, evento que pretende chamar a atenção sobre a violência contra as meninas e mulheres do mundo inteiro, através de protestos em forma de dança.[6]

Prêmios e Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

  • 2008: "Image Fotografia 2008" prêmio de fotografia BESA (Banco Espírito Santo de Angola) pela fotografia "Afrobasketologia"[7][8]
  • 2019: participou da quarta edição da residência artística internacional Catchupa Factory, programa para fotógrafos e artistas emergentes focado nos países africanos de língua portuguesa (PALOP), e organizado pela Associação Olho-de-Gente (AOJE). O projeto foi financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian. [9][10]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Racismo em Português - Angola». seLecT. 24 de agosto de 2017. Consultado em 29 de março de 2021 
  2. «Falar de fotografia com Indira Mateta, partilhas de um clique, ou vários!». VOA. Consultado em 29 de março de 2021 
  3. «Stellenbosch Triennale: Tomorrow there will be more of us». Whitehot Magazine of Contemporary Art (em inglês). Consultado em 29 de março de 2021 
  4. «Angola: "Houve independência mas não descolonização das mentes"». PÚBLICO. Consultado em 29 de março de 2021 
  5. a b «Indira Mateta | Biografia | lea.co.ao». www.lea.co.ao. Consultado em 28 de março de 2021 
  6. «Estatuto da mulher em foco em Moçambique e Angola». RFI. 14 de fevereiro de 2013. Consultado em 29 de março de 2021 
  7. «Indira Mateta vence concurso Imagen Fotografía 2008 - Cultura y Recreo - Angola Press - ANGOP». http://www.angop.ao (em espanhol). Consultado em 29 de março de 2021 
  8. «Indira Mateta vence concurso Imagen Fotografía 2008». www.angop.ao. Consultado em 28 de março de 2021 
  9. grxnet.com. «Jornal de Angola - Notícias - Fotógrafos angolanos em residência artística». Jornal de Angola. Consultado em 28 de março de 2021 
  10. «Fábrica da cachupa volta à activa na próxima semana». Expresso das Ilhas. Consultado em 29 de março de 2021 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]