Instituto Universal Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde outubro de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde setembro de 2013).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Instituto Universal Brasileiro
Tipo ensino a distância
Fundação 1941 (75 anos)
Localização Brasil
Apelido IUB
Página oficial http://www.institutouniversal.com.br/

O Instituto Universal Brasileiro foi fundado em 1941 e foi a segunda escola a distância a ser fundada no Brasil. Com o tempo, veio a se tornar a maior escola do gênero no país durante os anos 60 até 80.

Até o final dos anos 70 e começo dos anos 80 a gráfica funcionava na cidade de São Paulo. Com o falecimento do proprietário, os herdeiros decidiram não continuar o negócio

Houve a proposta de compra de um de seus concorrentes; as Escolas Associadas, também uma escola por correspondêia cujos impressos eram bem mais simples.

Nesse interim, a gráfica foi estabelecida no grande ABC, devido à isenção de impostos da época estabelecida com a prefeitura. Aos poucos as Escolas Associadas foi extinta para prevalecer-se com a marca Instituto Universal.

No começo dos anos 90 houve uma greve dos funcionários com a participação do pessoal do sindicato dos gráficos e ficaram com medo, pois nunca tinham vivenciado isso devido que a empresa anterior ser muito pequena.

Houve também uma procura por alguma outra cidade que pudesse também conceder a isenção de imposto e que ficasse longe da manifestação do sindicato. Conseguiram encontrar a cidade e logo solicitaram empréstimo ao banco para constituir onde seria sua nova gráfica.

Tiveram a sorte pois teve a mudança da moeda no Brasil que veio a ser o Real e com isso teve uma grande demanda na venda dos cursos por correspondência, mas a qualidade continuava a mesma. Com o decorrer do tempo tiveram algumas crises e chegou a ficar um mês sem pagar os salários dos funcionários e uns seis meses sem depositar no fundo de garantia.

Alguns funcionários foram conversar com o pessoal do sindicato e tiveram que intervir mas fizeram um acordo que eles iriam depositar aos poucos que até pusessem sanar as dividas. Mas após o ano de 2004 começou ficar frequente, eles mandaram gente embora e contratando pessoal que nunca tivessem nenhuma experiencia pois poderia pagar o salario mínimo ou o piso salarial.

Ele faz parte da primeira geração da educação a distância, o ensino por correspondência, caracterizado pelo material impresso e distribuído por meio de empresas de correio, modalidade na qual foi destaque no Brasil. Chegou a ter 10 unidades espalhadas na cidade de São Paulo, mas atualmente[quando?] permanecem funcionando apenas 2.

O Instituto possui cursos profissionalizantes livres de suplência e cursos oficiais supletivos de ensino fundamental e médio (antigos 1º e 2º graus).[1] . Na década de 80 chegou a ter cerca de 200 mil alunos matriculados.[2]

Referências

  1. Bruno Torturra Nogueira. (março 2006). "Vai Estudar, vagabundo". Trip (142): 120 a 122. Trip Editora e Propaganda SA. ISSN 1414-350X.
  2. «História do Instituto Universal Brasileiro». 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Educação