Ivernos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Antigos povos da Irlanda como descritos por Ptolomeu.

Os ivernos (em grego clássico: Ἰούερνοι; em irlandês: Érainn) eram um povo do sudoeste da Irlanda, atestado por Cláudio Ptolomeu em sua Geografia.[1] Ele ainda localiza uma cidade chamada Iverne (em grego clássico: Ἰουερνίς) em seu território,[2] e identifica a ilha da Irlanda como um todo como Ivérnia (em grego clássico: Ἰουερνία).[3] Evidentemente falavam línguas goidélicas como o restante dos habitantes da Irlanda, como atesta a abundância de inscrições em ogham em irlandês arcaico em suas terras, mas é possível que originalmente fossem falantes de uma língua britônica não atestada.[4][5]

História[editar | editar código-fonte]

Séculos antes de Ptolomeu, Estrabão e Pseudo-Aristóteles haviam identificado a ilha da Irlanda como um todo como Ierna (em grego clássico: Ίέρνη), o que, pela glotocronologia do grego, foi identificado como evidência de um antigo contato entre ivernos e jônicos.[6][7]

Os antigos ivernos são identificados com os Érainn (por vezes chamados Dáirine), povo atestado em Munster durante a Idade Média,[8] que governou Munster antes da ascensão dos Eóganachta. Povos ivernos na Munster medieval incluem os Corcu Loígde no sudeste de Cork,[9] governantes antes dos Eóganachta dos quais a ainda existente família irlandesa O'Leary (em irlandês: Ó Laoghaire ou Ó Laoire) é descendente direta; os Múscraige em Cork e Tipperary (um dos quais, Flaithbertach mac Inmainén, serviu como conselheiro-chefe de Cormac mac Cuilennáin e tornou-se Rei de Munster após sua morte); os Corcu Duibne em Kerry; e os Corcu Baiscind no oeste de Clare. Em Ulster, os ivernos foram representados pelos Dál Riata (cujos domínios se estenderam à atual Escócia) e os Dál Fiatach (que chegaram a governar o reino de Ulster).[10]

Referências

  1. Ptolomeu. Geografia, 2.2.6.
  2. Ptolomeu. Geografia, 2.2.9.
  3. Ptolomeu. Geografia, 8.3.4.
  4. O'Rahilly, T. F. (1946). Early Irish History and Mythology. Dublin: Dublin Institute for Advanced Studies. ISBN 0901282294 
  5. Koch, John (1991). «Ériu, Alba and Letha: When was a Language Ancestral to Gaelic First Spoken in Ireland?». Emania. 9: 17-27 
  6. Schrijver, Peter (2013). Language Contact and the Origins of the Germanic Languages. Abingdon: Routledge. p. 77 
  7. Smith, William (1854). Dictionary of Greek and Roman Geography. Londres: Walton and Maberly, Upper Gower Street and Ivy Lane, Paternoster Row 
  8. O'Rahilly, T. F. (1946). Early Irish History and Mythology. Dublin: Dublin Institute for Advanced Studies 
  9. Ó Corráin, Donnchadh. Prehistoric and Early Christian Ireland.In: Foster, Roy (ed.). The Oxford Illustrated History of Ireland. Oxford: Oxford University Press, 2001. p. 30.
  10. Doherty, Charles. Érainn. In: Duffy, Seán (ed.). Medieval Ireland: an encyclopedia, 2005, CRC Press, pp. 156–157