Japamala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Japamala hindu de 108 contas com sementes de rudraksha, ou Lágrimas de Shiva.

Japamala (Japa = repetição, Mala = cordão ou colar) é um objeto antigo de devoção espiritual, conhecido também como rosário de orações no ocidente. É um artesanato muito utilizado para ajudar nas orações e mentalizações como marcador. Temos então duas correntes: uma espiritual, "Japa", e outra material, "Mala". Assim, as energias espirituais invocadas "Japa" energizam o "Mala"[1].


Um japamala é geralmente composto por 108 contas e o “meru”, conta central que marca o início e o fim do mala. Também é possível encontrar japamalas menores, variando de 27 ou 54 contas, todas sub-divisões de 108. Segundo a filosofia yogui, ao se completar o circuito de 108 repetições da oração, mentalização ou mantra, alcança-se um estágio superior na consciência chamado de transcendental (o estágio que ultrapassa as fixações da mente, mantendo a consciência concentrada em si mesma)[2].

Muitas pessoas utilizam estes artesanatos simplesmente como objeto de decoração, amuleto de proteção ou somente para distração.

Meditação com japamala[editar | editar código-fonte]

A meditação com o uso do japamala, assim como a prática de mantras, tem sido usada por séculos como ferramenta poderosa para acalmar, centrar, curar e colaborar na evolução espiritual a fim de caminharmos na busca do melhor de nós.

São inúmeras as linhagens das tradições hindu e budista que utilizam o japamala para meditação com mantra. Segundo estas tradições, o número 108 é muito auspicioso e a meditação usando japamala pode ser uma ferramenta para se alcançar andares mais elevados na evolução espiritual.

Sementes de rudraksha[editar | editar código-fonte]

Entre os inúmeros materiais dos quais podem ser feitos um japamala, o mais famoso são as sementes de rudraksha, também conhecida como lágimas de Shiva, planta nativa da ásia. Segundo a crença indiana, Buda recebeu sua iluminação enquanto meditava sob uma árvore de rudraksha. A partir desta crença, foram atribuídas à rudraksha propriedades medicinais que vão desde o controle do estresse e redução de problemas circulatórios até a cura de doenças mais severas[3].

No entanto, é importante ressaltar que até o momento não foram desenvolvidas pesquisas científicas definitivas que pudessem comprovar as supostas propriedades medicinais da rudraksha[4].

Artesanato brasileiro[editar | editar código-fonte]

Japamala de 108 contas feito com sementes de açaí. Além de ser um alimento riquíssimo, as sementes do açai ainda tem amplo uso no artesanato brasileiro.

É possível ter acesso a estes objetos facilmente. No Brasil, o grupo Mãos Ocupadas defende o uso de japamalas, para colocar a energia pessoal em movimento enquanto a mente libera as tensões. Acredita-se que mente livre e "limpa" é capaz de concentrar-se de forma equilibrada no que é necessário e verdadeiro para cada momento, selecionando a essência da aparência para traduzir a mudança interior em transformação exterior.

Tradição milenar tropicalizada[editar | editar código-fonte]

Na tradição indiana, a confecção dos japamalas geralmente é feita com sementes de rudraksha. Para “tropicalizar” a tradição milenar indiana e tornar o japamala algo mais acessível à realidade e cultura Brasileira, é possível encontrar japamalas confeccionados com sementes de açaí. São as sementes obtidas pelo fruto do Açaizeiro, a mesma árvore que nos presenteia com o delicioso açaí!

O açaí é reconhecido por suas propriedades medicinais e sempre foi utilizado pelas populações indígenas da floresta amazônica por seus poderes de cura, além de alimento. No Brasil, além de muito utilizado na culinária dos povos da região Norte, também é fonte diversificada de matéria-prima para a confecção de artesanatos. [5]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.