Jim French

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Jim French (14 de julho de 193216 de junho de 2017[1]) foi um fotógrafo americano que sob o pseudónimo Rip Colt[2] criou o Colt Studio para publicar as suas imagens homoeróticas em livros, revistas e calendários, apresentando o trabalho de French e definindo um novo padrão para o ideal de masculinidade em fotografia.[3]

French começou a desenhar e a fotografar nus masculinos eróticos na década de 1960 e o seu primeiro livro, Man foi publicado em 1972. Outros livros do autor: Another Man, Jim French Men, Quorum, Opus Deorum, Masc., The Art of Jim French e The Art of the Male Nude.

O período Luger[editar | editar código-fonte]

French estudou no Museu da Escola de Arte de Filadélfia de 1950 a 1954 e prestou serviço no Exército dos Estados Unidos a partir de 1955, tendo estado na reserva durante dois anos antes de ser admitido. Foi dispensado do serviço em 1957. French estabeleceu-se em Nova York e iniciou uma carreira de sucesso na ilustração de moda. Por sugestão de um camarada do exército que tinha visto alguns de seus primeiros desenhos homoeróticos, na sua maioria inéditos e assinados com o pseudónimo Arion, ele e French formaram uma parceria para iniciar uma empresa de vendas por correspondência a que deram o nome de "Luger". O nome foi escolhido pelas fortes sugestões de masculinidade associadas à pistola Luger alemã.[carece de fontes?]

Os desenhos de Arion eram esboços românticos da vida de Fire Island e outras cenas semelhantes (inspirados e fazendo referência às pinturas de dois dos seus artistas favoritos, George Petty e Alberto Vargas). Mas os desenhos que French começou a fazer para "Luger" eram consideravelmente diferentes e abordavam temas decididamente mais masculinos, como motociclistas, cowboys, lutadores e outras figuras muito masculinas familiares. Quando os seus desenhos fizeram capas e vários artigos da revista Mars, as vendas aumentaram drasticamente.

Devido às restrições legais de então, os primeiros trabalhos não continham nudez frontal, mas eram mesmo assim altamente eróticos, divertidos e sugestivos. French também começou a vender cópias das fotografias que fazia como base para os seus desenhos, e estas também venderam bem.

O período do Estúdio Colt[editar | editar código-fonte]

Quando o sócio de French lhe comprou a sua parte da Luger, French estabelecu uma nova empresa, com um novo parceiro, Lou Thomas, a que chamaram COLT Studio (novamente, uma referência a uma arma de fogo embora pouco depois o nome ficasse associado a cavalos jovens). O Estúdio Colt começou a funcionar em 1967, após um ano de preparação dos primeiros desenhos e fotografias para a nova empresa. Mais uma vez, as imagens eram vendidas em conjuntos de cópias por correio e a empresa rapidamente se tornou um grande sucesso. Após 15 anos em Nova York, embora com muitas viagens para a Califórnia por causa do clima e da abundância de modelos, French decidiu mudar-se definitivamente para a costa Oeste.

Em 1974, French mudou-se para Hollywood Hills e comprou a participação do seu sócio, Lou Thomas, que lançou a sua própria empresa (Meta Studio), embora sem grande sucesso. A partir dos escritórios da COLT Studio no San Fernando Valley, French continuou a gerir a empresa de fotografia masculina mais bem sucedida desde Atlético Modelo Aliança de Bob Mizer. Ao longo de 36 anos, o COLT Studio produziu fotografias singularmente icónicas, eróticas e muito influentes, tornando French conhecido em todo o mundo.

French continuou a vender edições limitadas de exemplares dos seus arquivos fotográficos.

Referências

  1. Paul Gorman (18 de junho de 2017). «"Because it's so damn good!" Extracts from my exclusive interview with pioneering illustrator/photographer Jim French, who has died aged 84» (em inglês). paulgormanis.com. Consultado em 21 de junho de 2017 
  2. Blasius, Mark; Phelan, Shane (1997). We are everywhere: a historical sourcebook in gay and lesbian politics. Psychology Press, ISBN 978-0-415-90859-7
  3. Falkon, Felix Lance; Waugh, Thomas (2006). Gay Art: A Historic Collection (reprint of 1972 ed.) Arsenal Pulp Press, ISBN 978-1-55152-205-0

Ligações externas[editar | editar código-fonte]