João Lopes Marques

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
João Lopes Marques
Nascimento 29 de agosto de 1971 (49 anos)
Lisboa
Residência Tallinn
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação escritor, jornalista, guionista
Principais trabalhos Iberiana; Choque Cultural; Terra Java...
Prémios Prémio Jornalismo de Viagens
Prémio de Ensaio do Clube Português de Imprensa
Página oficial
http://joaolopesmarques.blogspot.com

João Lopes Marques (Lisboa, 29 de Agosto de 1971) é um jornalista, escritor e guionista português com base em Tallinn, a capital da Estónia.

Trabalho[editar | editar código-fonte]

A escrita de João Lopes Marques tende a debruçar-se sobre os temas da identidade e da História alternativa. Da mesma forma, a ironia e a caricatura social costumam estar presentes na maioria dos seus textos. Fez a sua estreia no romance em 2007 com o livro "O Homem que queria ser Lindbergh", a saga de um jovem adulto português obcecado com o Leste europeu. Seguiu-se-lhe "Terra Java", em 2008, que versa a descoberta secreta da Austrália pelos portugueses. Em 2011 publicou "Iberiana", um romance-ensaio sobre a invenção de uma religião e que repesca a misteriosa Ibéria do Cáucaso, um reino que existiu durante um milénio no território da actual Geórgia. O seu quarto romance, "Odessa, Vanessa", lançado em 2013 na Estónia, espelha os dilemas de uma adolescente nascida em Tallinn dividida entre a narrativa nacionalista báltica e as raízes paternas na Ucrânia soviética.

Ao longo do seu auto-exílio na Estónia, o autor tem vindo a dissecar as idiossincrasias locais semanalmente, primeiro no semanário Eesti Ekspress e, mais recentemente, no diário Postimees. Dentre os seus livros publicados naquele país nórdico, destacam-se os três livros de crónicas de costumes sobre a Estónia e os estónios. Em Portugal, Lopes Marques assina essencialmente crónicas de costumes sobre outros povos dos mundo, de que o progama na TSF "Viagens com Sons" e, especialmente, o livro "Choque Cultural" são exemplo. [1]

Tem também dois livros de microcontos publicados, um deles bilingue português-castelhano (Circo Vicioso). [2]

João Lopes Marques é o correspondente no Báltico da Lusa — a agência noticiosa portuguesa — e é o guionista do "Cuidado com a Língua!" (RTP), um popular programa de televisão sobre língua portuguesa. [3]

Juntamente com o realizador Filipe Araújo fundou a Blablabla Media, uma plataforma multimédia virada para o experimentalismo. A sua curta-metragem "Iberiana" é uma adaptação livre do romance homónimo e tem feito uma carreira nacional e internacional em diversos festivais.[4]

Em Outubro de 2011, Lopes Marques foi convidado para encerrar o TEDxEdges (Lisboa), onde dissertou sobre o poder multiplicador da curiosidade e o seu exílio dourado no Norte da Europa. [5]

João Lopes Marques estudou no Liceu D. Pedro e na Universidade Técnica de Lisboa, onde se licenciou em Relações Internacionais (ISCSP) e obteve a pós-graduação em Estudos Europeus (ISEG). Em 1996, concluiu o curso de Formação Geral em Jornalismo do Centro Protocolar de Jornalistas (Cenjor).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Espanha[editar | editar código-fonte]

Na Estónia[editar | editar código-fonte]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Em 1995 foi-lhe atribuído o Prémio de Ensaio do Clube Português de Imprensa. Com a sua reportagem sobre Tallinn, Capital Europeia da Cultura 2011 foi um dos dois jornalistas distinguidos com o Prémio Jornalismo de Viagens 2012, atribuído pelo Clube de Jornalistas e pela Halcón Viagens. [6]

Crónicas[editar | editar código-fonte]

Em inglês[editar | editar código-fonte]

Em francês[editar | editar código-fonte]

Em russo[editar | editar código-fonte]

Em estónio[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]