João Vário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
João Vário
Nome completo João Manuel Varela
Nascimento 7 de junho de 1937
Mindelo, São Vicente, Cabo Verde
Morte 7 de agosto de 2007 (70 anos)
Mindelo, São Vicente, Cabo Verde
Nacionalidade Cabo Verde Cabo-verdiano
Ocupação Escritor, neurocientista, cientista e professor
Magnum opus Contos de Macaronésia

João Vário (Mindelo, São Vicente, 7 de Junho de 1937Mindelo, São Vicente, 7 de Agosto de 2007), principal pseudónimo de João Manuel Varela, que também assinou como Timóteo Tio Tiofe e Geuzim Té Didial, foi um escritor, neurocientista, cientista e professor cabo-verdiano.[1][2]

Estudou medicina nas universidades de Coimbra e de Lisboa e doutorou-se na universidade de Antuérpia, na Bélgica, onde foi investigador e professor de neuropatologia e neurobiologia. Ao jubilar-se, regressou à sua Mindelo natal.

Obras[editar | editar código-fonte]

Deixou uma obra poética extensa, mas ainda pouco conhecida do grande público. Foi muito influenciado pela cultural ocidental, tendo como referências Saint-John Perse, T. S. Eliot, Ezra Pound, Aimé Césaire, Dante e a própria Bíblia.[1][2]

  • Exemplos 1-9, de João Vário, volume que reúne os Exemplos Geral (1966), Relativo (1968), Dúbio (1975), Próprio (1980), Precário (1981), Maior (1985), Restreint (1989), Irréversible (1989), e Coevo (1998).
  • O Primeiro e o Segundo Livros de Notcha (poesia), de Timóteo Tio Tiofe.
  • Contos da Macaronésia, de G. T. Didial.
  • O Estado impenitente da Fragilidade (romance), de G. T. Didial.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Serrano (2007)
  2. a b Cristóvão 2005, pp. 572-3 s. v. «João Manuel Varela»

Ligações externas[editar | editar código-fonte]