Jorge Reis-Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Jorge S. Reis-Filho (Paranavai, 16 de abril de 1975) é um cientista brasileiro especializado em patologia experimental e genomica de tumores.

Iniciou sua carreira no Institute of Cancer Research, em Londres, onde progrediu de estudante de doutorado, de 2002 a 2006, a lider do time de patologia molecular (2006-2010) e, eventualmente, a professor titular de patologia molecular em 2010. É o atual Diretor de Patologia Experimental no Memorial Sloan Kettering Cancer Center em Nova Iorque, onde lidera um grupo de pesquisas de alteracoes genéticas que causam tumores raros [1]. Em 2010 recebeu o premio de Ramzi S. Contran Cientista Jovem da Academia de Patologia dos Estados Unidos e Canada (United States and Canadian Academy of Pathology) [2] e o prêmio Líderes do Futuro da Cancer Research UK [3]. Em 2014, foi nomeado como uma das mentes cientificas mais influentes pela Thomson Reuters [4]. Suas pesquisas sobre a genética de tumores de mama e melanoma receberam atenção na mídia nacional [5][6][7] e internacional[8][9][10] nos últimos 10 anos. Recentemente, descobriu a alteração patognomónica dos adenocarcinomas polimorfos de baixo grau das glândulas salivares[11], descobriu o paper de genes que controlam o pH celular no desenvolvimento de tumores[12], e desenvolveu a primeira plataforma para sequenciamento de DNA de celulas individuais extraidas de preparados histologicos de rotina[13].

Referências

  1. Memorial Sloan Kettering Cancer Center. «The Jorge Reis-Filho Lab». Consultado em 27 de Dezembro de 2015 
  2. «Ramzi S. Cotran Young Investigator Award». Consultado em 27 de dezembro de 2015 
  3. «CRUK Future Leaders Prize». Consultado em 27 de Dezembro de 2015 
  4. «World's Most Influential Minds 2014» (PDF). Consultado em 27 de dezembro de 2015 
  5. Rafael Garcia (11 de fevereiro de 2008). [www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe1102200801.htm «Tumores evoluem para resistir a drogas»] Verifique valor |URL= (ajuda). Folha de Sao Paulo 
  6. Rafael Garcia (16 de Abril de 2009). «Grupo acha mutação que causa melanoma». Folha de Sao Paulo. Consultado em 27 de dezembro de 2015 
  7. «Patologista nascido em Paranavaí trabalha pela cura do câncer em centro de pesquisas nos EUA». www.crmpr.org.br. Consultado em 17 de abril de 2019 
  8. Roger Highfield (1 de dezembro de 2006). «Gene find may help curb breast cancer». Telegraph.co.uk. Consultado em 27 de dezembro de 2015 
  9. John Hutchinson (23 de fevereiro de 2012). «Cancer cure hopes as genetic code hereditary breast disease is mapped for first time». dailymail.co.uk. Consultado em 27 de dezembro de 2015 
  10. Richard Hartley-Parkinson (17 de maio de 2012). «New genetic 'map' drawn up that will give better diagnosis for breast cancer patients and more effective treatment». dailymail.co.uk. Consultado em 27 de dezembro de 2015 
  11. Weinreb, Ilan; Piscuoglio, Salvatore; Martelotto, Luciano G; Waggott, Daryl; Ng, Charlotte K Y; Perez-Ordonez, Bayardo; Harding, Nicholas J; Alfaro, Javier; Chu, Kenneth C (novembro de 2014). «Hotspot activating PRKD1 somatic mutations in polymorphous low-grade adenocarcinomas of the salivary glands». Nature Genetics (em inglês). 46 (11): 1166–1169. ISSN 1546-1718. doi:10.1038/ng.3096 
  12. Reis-Filho, Jorge S.; Weigelt, Britta; Rubin, Brian P.; Edelweiss, Marcia; Hollmann, Travis; Norton, Larry; Palazzo, Juan; Edelweiss, Maria I. A.; Ellis, Ian O. (30 de agosto de 2018). «Loss-of-function mutations in ATP6AP1 and ATP6AP2 in granular cell tumors». Nature Communications (em inglês). 9 (1). 3533 páginas. ISSN 2041-1723. doi:10.1038/s41467-018-05886-y 
  13. Martelotto, Luciano G; Baslan, Timour; Kendall, Jude; Geyer, Felipe C; Burke, Kathleen A; Spraggon, Lee; Piscuoglio, Salvatore; Chadalavada, Kalyani; Nanjangud, Gouri (março de 2017). «Whole-genome single-cell copy number profiling from formalin-fixed paraffin-embedded samples». Nature medicine. 23 (3): 376–385. ISSN 1078-8956. PMC PMC5608257Acessível livremente Verifique |pmc= (ajuda). PMID 28165479. doi:10.1038/nm.4279