Katinguelê

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps important square.svg
Este artigo ou secção tem passagens escritas com uma linguagem inadequada para uma enciclopédia.
Caso deseje, tente transcrevê-lo para uma linguagem mais adequada.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Katinguele
Informação geral
País  Brasil
Gênero(s) Pagode romântico, samba
Integrantes Diguinho
Breno
Udi
Téo
Nino
Mário
Ex-integrantes Salgadinho
Marquinhos

Katinguelê é um grupo musical de pagode romântico, um dos subgêneros do samba do Brasil.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Com 26 anos de carreira, porém só nos últimos anos, com a ascensão do pagode, conseguiram obter reconhecimento. O nome "Katinguelê" (que significa criança iniciante na capoeira) já existia desde a primeira formação do grupo, já que o samba era discriminado e restrito apenas à classe baixa.

Isso tudo fez com que os paulistanos Mário, Hoody, Téo, Nino, Breno e Diguinho (atual formação) acreditassem no sucesso e batalhassem para chegar no auge que se encontram. A saída de Salgadinho em 2001 para seguir a carreira solo abalou o Katinguelê, mas o golpe foi absorvido. Em 2008, Salgadinho retornou para o Katinguelê com a ajuda da dupla sertaneja Bruno e Marrone, porém em 2010 Salgadinho saiu do grupo novamente. No seu lugar, entrou Rodrigo Golla (Diguinho).

O sucesso dependeu muito dos empresários Wanderley, no início da carreira, e Sidney Gallego (antigo empresário), que acreditou no talento deles desde o início humilde na região sul de São Paulo.

A fama em todo o território nacional chegou ao lançarem o 3º disco (1996) pela gravadora Continental, tendo como título No compasso do Criador que quase vendeu 1 milhao de copias Deste trabalho expandiu de Norte a Sul sucessos como Só pedindo bis, Recado à minha amada, Ainda resta uma bagagem, Luana, No Compasso do Criador, Essa menina e muito mais.

Katinguelê definitivamente se tornou um dos maiores grupo de pagode do Brasil, vendendo quase 8 milhões de discos.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Bem No Íntimo (1992)
  • Meu Recado (1994) - Ouro: 100 mil cópias[2]
  • No Compasso do Criador (1996) - Platina duplo: 500 mil cópias[2]
  • Mundo dos Sonhos (1997) - Platina: 250 mil cópias[2]
  • Na Área (1998) - Platina: 250 mil cópias[2]
  • 15 Anos ao Vivo (1999)
  • Venha Matar Saudade (2000)
  • O Show Vai Começar - Ao Vivo (2005)
  • A Volta Ao Vivo (2008)
  • Por Amor (2010)

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

Referência do Artigo Katinguele no Dicionario Cravo Albin

Referências

  1. «Katinguelê». Cravo Albin da MPB. Consultado em 29 de novembro de 2014 
  2. a b c d «Álbuns certificados de Katinguelê». ABPD. Consultado em 15 de fevereiro de 2013 


Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.