Lábdaco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Lábdaco (em grego: Λάβδακος, transl. Lábdakos) é um personagem da mitologia grega que teria sido rei de Tebas e fundador da dinastia dos Labdácidas. Era filho único do Rei Polidoro e de Nictéia, filha de Nicteu. Por parte de pai, era neto também de Cadmo, fundador da cidade.[1][2]

Como Polidoro morreu quando Lábdaco ainda era criança, seu avô Nicteu tornou-se regente de Tebas, mas foi logo substituído por Lico (irmão de Nicteu) (irmão de Nicteu e tio-avô do jovem príncipe), que ajudou a criá-lo. Quando cresceu, Lábdaco assumiu o trono tebano, casou-se e foi pai de Laio. Como rei, engajou-se numa guerra de fronteiras contra Pandião I, rei de Atenas, e saiu derrotado.[1] Internamente, procurou manter o trabalho de seu pai e reprimir o culto das bacantes, que ganhavam extrema influência religiosa e política na cidade. Teria profanado um altar a Dionísio, o que provocou a fúria das bacantes, que mataram-no por esquartejamento. Com sua morte, Lico voltou a ser regente de Tebas, desta vez em nome de Laio.[3]

Seus demais descendentes foram Édipo, Polínice, Antígona, Etéocles e Ismênia, imortalizados na Trilogia Tebana de Sófocles.[4]

Referências

  1. a b Mario da Gama Kury (1999). Dicionário de Mitologia Grega e Romana. [S.l.]: Jorge Zahar. p. 228. ISBN 978-85-7110-128-9 
  2. Paula Barata Dias (1 de maio de 2017). Boletim de Estudos Clássicos vol. 60. [S.l.]: Imprensa da Universidade de Coimbra / Coimbra University Press. p. 14. GGKEY:1E1WUPKR132 
  3. Jennifer R. March (31 de maio de 2014). Dictionary of Classical Mythology. [S.l.]: Oxbow Books. p. 279. ISBN 978-1-78297-635-6 
  4. Sophocles (13 de fevereiro de 2009). The Oedipus Trilogy. [S.l.]: ReadHowYouWant.com. p. 13. ISBN 978-1-4429-2062-0