La última cena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde dezembro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
La última cena
A última ceia (PT)
Cuba
110 min 
Direção Tomás Gutiérrez Alea
Produção Santiago Llapur
Camilo Vivés
Elenco Nelson Villagra
Mario Balmaseda
Silvano Rey
Samuel Claxton
Música Leo Brouwer
Cinematografia Mario García Joya
Edição Nelson Rodríguez
Distribuição Instituto Cubano del Arte e Industrias Cinematográficos (ICAIC)
Lançamento 3 de novembro de 1977 (Espanha)
Idioma castelhano
Cronologia
Una pelea cubana contra los demonios (1972)
De cierta manera (1977)
Página no IMDb (em inglês)

La última cena (A última ceia, em Portugal) é um filme cubano, dirigido por Tomás Gutiérrez Alea em 1976. Trata-se de uma obra que pode ser vista como um libelo contra a servidão, simbolizando o bem inestimável que é a liberdade como expoente da dignidade humana.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Cuba, finais do século XVIII. Uma plantação de açúcar e o respectivo engenho de refinação são explorados por um conde, tendo por mão-de-obra escravos negros. Em Quinta-feira Santa o conde convida doze dos seus escravos para cear consigo. No dia seguinte, tendo reencontrado o sentido da dignidade humana, os escravos revoltam-se…

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.