La Mona Jiménez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
La Mona Jiménez
La Mona Jiménez
La Mona Jiménez
Informação geral
Nome completo Juan Carlos Jiménez Rufino
Também conhecido(a) como La Mona, El Cordobés mas famoso, Mandamás, CMJ, El Rey Del Cuarteto , Charly , Jimene , El Dios de Córdoba
Nascimento 11 de janeiro de 1951 (67 anos)
Origem Córdoba, Argentina
País  Argentina
Gênero(s) Cuarteto
Instrumento(s) vocal,
Período em atividade 1967 - presente
Gravadora(s) Independente
Chaos
Epic Records
Sony BMG Music Entertainment
Sony Music
Afiliação(ões) Skank, Chico Amaral, Nando Reis
Página oficial www.cmj.com.ar

Juan Carlos Jiménez Rufino, mais conhecido como Carlitos "La Mona" Jiménez (Tucumán, 11 de janeiro de 1951) é um cantor de cuarteto argentino.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Nascido e criado em Córdoba, onde iniciou como cantor aos 15 anos, em 1966, formando parte do Cuarteto Berna, gravando quatro discos. Com seu tio materno, Coquito Ramaló, cria em 1971 o Cuarteto de Oro, gravando inicialmente o disco Póngale la cadenita, que foi um grande fracasso de vendas. Durante a ditadura militar que se estabeleceu en Argentina, sofreu várias censuras.

Em 1984, com 26 LPs gravados, Jiménez saiu do Cuarteto de Oro para começar uma carreira solo, quando lança o disco Para toda América, no qual teve seu primeiro grande sucesso: La flaca la gasta. Em 1986, gravar o disco "En Vivo", gravado no Monumental Sargento Cabral da cidade de Córdoba. Em 1988, toca pela primeira vez em Buenos Aires

Em 8 de março de 2012, a presidente Cristina Kirchner inaugura a Galeria de ídolos populares, da qual La Mona faz parte.

Em geral, grava dois discos por ano e já editou mais de 80 discos e já vendeu mais de 3 milhões de cópias, somente na Argentina.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre La Mona Jiménez