La gazza ladra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde abril de 2012)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Óperas de Gioacchino Rossini
Rossini-portrait-0.jpg

La cambiale di matrimonio (1810)
L'equivoco stravagante (1811)
L'inganno felice (1812)
Ciro in Babilonia (1812)
La scala di seta (1812)
Demetrio e Polibio (1812)
La pietra del paragone (1812)
L'occasione fa il ladro (1812)
Il signor Bruschino (1813)
Tancredi (1813)
L'italiana in Algeri (1813)
Aureliano in Palmira (1813)
Il turco in Italia (1814)
Sigismondo (1814)
Elisabetta, regina d'Inghilterra (1815)
Torvaldo e Dorliska (1815)
Il barbiere di Siviglia (1816)
La Gazzetta (1816)
Otello (1816)
La Cenerentola (1817)
La gazza ladra (1817)
Armida (1817)
Adelaide di Borgogna (1817)
Mosè in Egitto (1818)
Adina (1818)
Ricciardo e Zoraide (1818)
Ermione (1819)
Eduardo e Cristina (1819)
La donna del lago (1819)
Bianca e Falliero (1819)
Maometto secondo (1820)
Matilde di Shabran (1821)
Zelmira (1822)
Semiramide (1823)
Il Viaggio a Reims (1825)
Le siège de Corinthe (1826)
Moïse et Pharaon (1827)
Le comte Ory (1828)
Guillaume Tell (1829)

La gazza ladra (A Pega Ladra, em italiano) é uma ópera semiséria (melodramma) em dois atos do compositor italiano Gioachino Rossini. Seu libreto, de autoria de Giovanni Gherardini, foi baseado em La pie voleuse, de JMT Badouin d'Aubigny e Louis-Charles Caigniez. A obra é célebre por sua abertura, e se destaca pelo uso das caixas.

Rossini era célebre, à época, pela velocidade com que compunha suas obras, e esta não foi exceção; supostamente o seu produtor teria sido obrigado a trancar Rossini num quarto, às vésperas da primeira performance, para que ele concluísse a abertura. Rossini então passava pela janela cada folha da obra aos seus copistas, que escreviam o resto das partes orquestrais.

História[editar | editar código-fonte]

Foi encenada pela primeira vez em 13 de maio de 1817, no Teatro alla Scala, de Milão. A ópera foi revisada por Rossini para performances posteriores em Pesaro, em 1818, no Teatro del Fondo (Nápoles), em 1819, e no Teatro di San Carlo (Nápoles) em 1820. O próprio Rossini revisou a obra para sua execução em Paris, em 1866.

Riccardo Zandonai fez sua própria versão da ópera para uma performance em Pesaro, em 1941. Alberto Zedda editou o trabalho original de Rossini para uma publicação da Fondazione Rossini em 1979.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • La pie voleuse opera en trois actes, Gioacchino Rossini, Castil-Blaze, Giovanni Gherardini (E.J. Coale, 1831)
  • La gazza ladra, Gioacchino Rossini, Giovanni Gherardini, Aubigny, Caigniez (Louis-Charles) (published by Elliott, 1833)