Lamas do Vouga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Lamas do Vouga  
—  Freguesia portuguesa extinta  —
Localização no Concelho de Águeda
Localização no Concelho de Águeda
Lamas do Vouga está localizado em: Portugal Continental
Lamas do Vouga
Localização de Lamas do Vouga em
Coordenadas 40° 38' 15" N 8° 28' 19" O
Concelho primitivo Águeda
Concelho (s) atual (is) Águeda
Freguesia (s) atual (is) Trofa, Segadães e Lamas do Vouga
Extinção 2013
Área
 - Total 3,76 km²
População (2011)
 - Total 729
    • Densidade 193,9 hab./km²
Orago Santa Maria

Lamas do Vouga foi uma freguesia portuguesa do concelho de Águeda, com 4,3 km² de área e 729 habitantes (2011). A sua dnsidade populacional era 169,5 hab/km².

Foi sede de uma freguesia extinta (agregada), em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada às freguesias de Trofa e Segadães, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Trofa, Segadães e Lamas do Vouga.[1]

Localização[editar | editar código-fonte]

Localizada na zona noroeste do concelho, Lamas do Vouga tem como vizinhas as localidades de Macinhata do Vouga a norte, Valongo do Vouga a leste e Trofa a sul e o concelho de Albergaria-a-Velha a oeste. Dista cerca de oito quilómetros da cidade de Águeda.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Lamas do Vouga (1864 – 2011)
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
428 507 545 581 588 664 637 681 680 769 747 710 846 760 729

Nos censos de 1864, 1890 e 1900 figura com o nome de Lamas

Evolução da  População  1864 / 2011
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 122 118 400 120 16,1% 15,5% 52,6% 15,8%
2011 105 83 409 132 14,4% 11,4% 56,1% 18,1%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

(Fonte: INE)

Lugares[editar | editar código-fonte]

  • Lamas do Vouga
  • Pedaçães
  • Vila Verde
  • Vouga

História[editar | editar código-fonte]

Apesar da sua pequena dimensão, Lamas do Vouga é uma das localidades mais históricas do Distrito de Aveiro. A sua importância histórica resulta do facto de ali se cruzarem com o rio Vouga as antigas estradas que ligavam as cidades do extremo ocidente peninsular. Já por ali passava a estrada romana, fazendo a ligação de Olisipo a Bracara Augusta. Mais tarde, as estradas medievais (mourisca, coimbrã, real) viriam também a passar por ali. E ainda hoje é por ali que passa o Itinerário Complementar IC2. Uma outra estrada romana, e mais tarde medieval, passando igualmente em Lamas do Vouga, fazia a ligação de Viseu ao litoral aveirense. As pontes medievais do Vouga e do rio Marnel, ainda existentes, continuam a testemunhar a antiga importância viária do local.

Enquanto freguesia religiosa, a história de Lamas do Vouga remonta ao Mosteiro de Santa Maria de Lamas, ou Mosteiro do Marnel, documentado no século X e a que se encontra ligado Gonçalo Viegas de Marnel. Situava-se este mosteiro na margem sul do pequeno rio Marnel, afluente do Vouga. A igreja paroquial de Santa Maria de Lamas viria a ser consagrada no século XII, conforme lápide que ainda se conserva. Devido ao progressivo assoreamento das margens do Vouga, o local da primitiva igreja e mosteiro de Santa Maria de Lamas, onde ainda subsistem alguns vestígios, tornou-se insalubre e frequentemente alcançado pelas cheias, pelo que a igreja foi transferida para um ponto mais alto na margem norte do rio Marnel. Era priorado da apresentação dos duques de Aveiro, passando para a Coroa quando esta família se extingiu, no reinado de Dom José.

Na organização civil, a freguesia de Lamas do Vouga sucede ao antiquíssimo concelho de Vouga, extinto em 31 de Dezembro de 1853. A sua sede, conhecida como burgo de Vouga, situava-se junto à estrada real, entre as pontes do Vouga e do Marnel, em local hoje englobado na malha urbana da povoação de Lamas do Vouga. De notar que, no antigo regime, parte da povoação de Lamas do Vouga pertencia ao concelho e capitania-mor de Aveiro. Em 1689, o concelho do Vouga abrangia Arrancada, o lugar de Santo António, Vale Maior e Carvalhal da Portela, Lanheses, Mesa, Macinhata, metade da Aguieira, Veiga, Ferreiros, Soutelo, Sabugal e as Póvoas de Cadaveira, Mouta, Moutedo, Campelinho, Assores, Viade, Salgueiro, Redondo, Bico, A-do-Fernando das Cavadas, Troviscal, Toural, Lavegadas, Chouchos e Mocho.

O concelho de Vouga foi um dos inúmeros concelhos em que se dividiu a Terra de Vouga, território medieval documentado nos séculos XI a XIV, o qual correspondia grosso modo à zona sul do distrito de Aveiro, isto é, desde Albergaria-a-Velha até à Mealhada. A sede desta grande terra de Vouga era também o burgo de Vouga.

O burgo e terra de Vouga estão na continuidade da antiga cidade romana de Talábriga e seu território. Talábriga situava-se no Monte Marnel, ou Cabeço do Vouga, local de notáveis características defensivas, situado precisamente na localidade de Lamas do Vouga. Embora ainda não seja conhecida a extensão exacta da cidade romana, os vestígios já revelados pelas escavações merecem visita.

A decadência do burgo de Vouga resulta do processo de assoreamento do delta do Vouga, que levou à formação da ria de Aveiro, afastando o mar e dificultando a navegação. À medida que o burgo de Vouga entrava em agonia, emergia no litoral a vila de Aveiro, hoje capital do distrito.

Ponte Velha do Vouga

Património[editar | editar código-fonte]

Informação Diversa[editar | editar código-fonte]

  • Actividades Económicas: Agricultura e Comércio
  • Festas e romarias: S. Lourenço (domingo após 10 de Agosto) e Espírito Santo (1º domingo de Julho)
  • Gastronomia Local: Leitão à Bairrada, Chanfana e doces regionais
  • Colectividades: associação de caçadores “ A norte de Águeda”, associação de Jovens de Pedaçães, associação musical “3 gerações” e Associação Social Desportiva e Cultural de Pedaçães (ASDCP).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ladeira, F.D. (1982) Município de Águeda, Ed. do Autor, 2 volumes.
  • Nogueira Gonçalves, A. (1959) Inventário Artístico de Portugal. VI. Distrito de Aveiro. Zona Sul, Academia Nacional de Belas Artes (ed.), Lisboa.
  • Seabra Lopes, L. (1996) «Talábriga e as Origens da Terra de Vouga», Beira Alta, vol. LV, 1-2, Assembleia Distrital de Viseu, p. 169-187.
  • Seabra Lopes, L. (2000) «A Estrada Emínio-Talábriga-Cale: Relações com a Geografia e o Povoamento de entre Douro e Mondego», Conimbriga, vol. 39, Instituto de Arqueologia da Universidade de Coimbra, p. 191-258.
  • Sousa Baptista, A.S. (1950) «Considerações sobre a Cidade Luso-Romana de Vacca, o Julgado e o Burgo de Vouga», Arquivo do Distrito de Aveiro, vol. XVI, p. 81-117.

Referências

  1. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.