Lelio Coluccini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lélio Coluccini
Retrato de Lélio Coluccini em 1969.
Nome completo Lélio Coluccini
Nascimento 3 de dezembro de 1910
Pietrasanta
Morte 24 de junho de 1983 (72 anos)
Campinas,  São Paulo
Nacionalidade  brasileiro
Movimento estético Neoclassicismo,Modernismo e Varguardistas

Lélio Coluccini (Valdicastello, 3 de dezembro de 1910 — Campinas, 24 de julho de 1983).Foi um escultor néo-classista e modernista. Italiano irradicado em Campinas. Artista de tendencias néo-classicas, estudou em Pietra santa. Realizou exposições em Campinas no Centro de Ciências, no Teatro Municipal e em São Paulo tendo alguns de seus trabalhos adquiridos pela Prefeitura de Campinas, além de, figurar praças e repartições públicas. Autor de monumentos no interior e na capital do estado de São Paulo.

Formação e vida[editar | editar código-fonte]

Chegou ao Brasil com seus pais em 1912, uma família típica de artesões do mármore, seu pai e seus irmãos fundaram em Campinas a Marmoraria. Lélio Coluccini, aprendeu o ofício na própria marmoraria da família junto acompanhado de seu pai, tendo em vista a tradição. Aos nove anos de idade apresentou uma escultura em argila (cabeça de Cristo) que impressionou muito um crítico de arte, que visitava a marmoraria e motivou seu pai, Alfredo Coluccini a investir no futuro do seu filho. Em 1924, Lélio Coluccini, retorna a terra natal onde passa a morar com sua avó Teresa Coluccini. Entre 1924 e 1931, estudou artes plásticas no Instituto d'Art Stagio Stagi, em Pietrasanta, onde se tornou escultor diplomado. Em 1931, voltou a Campinas, momento em que monta também seu ateliê que se localizava na Rua General Osorio, 752. Detentor de vários prêmios na Itália, Coluccini fez, em 1936, sua primeira exposição em Campinas, no Centro de Ciências, Letras e Artes. Em 1957, participa da I Exposição de Arte Contemporânea, que aconteceu no Saguão do Teatro Municipal Carlos Gomes. A partir de então, participou ativamente da vida artística de Campinas. Lélio Coluccini é responsável por um acervo imensamente aclamado e expoente da arte moderna.

Familiares[editar | editar código-fonte]

Tinha como irmãos:

  • Ângelo Coluccini(*26.10.1926), casado com Ruth Bicudo Coluccini( 01.05.1935), filha de Josephina Fioratti Bicudo;

Neto paterno de:

  • Raphael e Teresa Coluccini;

Sobrinho paterno de:

  • Pietro Coluccini, casado com Ultímia Maremmani e * Giuseppe Coluccini, casado com Maria Viviani;

Algumas de suas obras[editar | editar código-fonte]

Monumento ao bicentenário campineiro, inaugurado em 1974.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Lelio Coluccini