Lily Braun

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lily Braun
Nascimento 2 de julho de 1865
Halberstadt,
Flag of the German Confederation (war).svg Confederação Germânica
Morte 12 de agosto de 1916 (51 anos)
Berlim, Flag of the German Empire.svg Império Alemão
Nacionalidade alemã
Ocupação escritora, feminista

Lily Braun, batizada com o nome Amalie von Kretschman, (2 de Julho de 1865, Halberstadt – 12 de Agosto de 1916 Berlim),[1] nome de nascimento Amalie von Kretschmann, foi uma escritora feminista alemã. [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ela era filha do general Hans von Kretschmann, da Prússia e neta da Baronesa Jenny von Sustedt que era uma filha ilegítima do rei de Vestefália Jerónimo Bonaparte, irmão de Napoleão. Ainda cedo Lily Braun se casou com o professor de filosofia Georg von Gizycki, ao qual se uniram num movimento ético, que buscava estabelecer um sistema de moralidade que substituiria a influencia das religiões tradicionais. Lily casou-se novamente em 1896 com Heinrich Braun, após a morte do marido. Braun era um político social-democrata e um publicitário.[3]

Ainda Jovem Lily filiou-se ao Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) e tornou-se uma das líderes do movimento feminista alemão. Ela foi fortemente influenciada por Friedrich Nietzsche e queria que o SPD se focasse no desenvolvimento da personalidade e da individualidade em vez da igualdade. Para ela, as mulheres deveriam ter a sua própria personalidade e não ser apenas consideradas como (futuras) mães e esposas. Ela lutava por liberdade econômica para as mulheres e a abolição do casamento legal.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Die Frauenfrage : ihre geschichtliche Entwicklung und ihre wirtschaftliche Seite (A questão da mulher: seu desenvolvimento histórico e seu lado econômico) (1901)
  • Wahrheit oder Legende: Ein Wort zu den Kriegsbriefen des Generals von Kretschman (Verdade ou lenda: uma palavra sobre as cartas de guerra do general von Kretschman)
  • Die Mutterschaftsversicherung : ein Beitrag zur Frage der Fürsorge für Schwangere und Wöchnerinnen (Seguro de maternidade: uma contribuição em questão da atenção às mulheres grávidas e novas mães)
  • Die Frauen und die Politik (Mulheres e política)
  • Memoiren einer Sozialistin - Lehrjahre (Memórias de uma mulher socialista - Anos de aprendizagem) (Novela)
  • Memoiren einer Sozialistin - Kampfjahre (Memórias de uma mulher socialista - Anos de luta) (Novela)
  • Mutterschaft : ein Sammelwerk für die Probleme des Weibes als Mutter (Maternidade: uma compilação dos problemas das mulherer como mães)
  • Die Liebesbriefe der Marquise (As cartas de amor da Marquise)
  • Die Frauen und der Krieg (As mulheres e a guerra)
  • Im Schatten der Titanen : Erinnerungen an Baronin Jenny von Sustedt (Na sombra dos Titãs: Memórias de Baronesa Jenny von Sustedt) (1908) - uma biografia da avó de Braun, os "Titãs" do título simbolizavam Napoleão Bonaparte, que era tio de von Sustedt, e Goethe, com quem mantinha contato em Weimar durante a infância.
  • Lebenssucher (Buscando viver)
  • Frauenarbeit und Beruf (O trabalho e a carreira das mulheres)

Referências

  1. Käthe Kollwitz. The Diary and Letters of Kaethe Kollwitz. Northwestern University Press; 1988. ISBN 978-0-8101-0761-8. p. 71.
  2. Ute Lischke. Lily Braun, 1865-1916: German Writer, Feminist, Socialist. Camden House; ISBN 978-1-57113-169-0. p. 10.
  3. Helen Rappaport. Encyclopedia of Women Social Reformers. ABC-CLIO; 2001. ISBN 978-1-57607-101-4. p. 106.

links externos[editar | editar código-fonte]