Lily Braun

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lily Braun
Nascimento 2 de julho de 1865
Halberstadt,  Alemanha
Morte 12 de agosto de 1916
Berlim,  Alemanha
Nacionalidade alemã
Ocupação escritora, feminista

Lily Braun, batizada com o nome Amalie von Kretschman, (2 de Julho de 1865, Halberstadt – 12 de Agosto de 1916 Berlim),[1] nome de nascimento Amalie von Kretschmann, foi uma escritora feminista alemã. [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ela era filha do general Hans von Kretschmann, da Prússia e neta da Baronesa Jenny von Sustedt que era uma filha ilegítima do rei de Vestefália Jerónimo Bonaparte, irmão de Napoleão. Ainda cedo Lily Braun se casou com o professor de filosofia Georg von Gizycki, ao qual se uniram num movimento ético, que buscava estabelecer um sistema de moralidade que substituiria a influencia das religiões tradicionais. Lily casou-se novamente em 1896 com Heinrich Braun, após a morte do marido. Braun era um político social-democrata e um publicitário.[3]

Ainda Jovem Lily filiou-se ao Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD) e tornou-se uma das líderes do movimento feminista alemão. Ela foi fortemente influenciada por Friedrich Nietzsche e queria que o SPD se focasse no desenvolvimento da personalidade e da individualidade em vez da igualdade. Para ela, as mulheres deveriam ter a sua própria personalidade e não ser apenas consideradas como (futuras) mães e esposas. Ela lutava por liberdade econômica para as mulheres e a abolição do casamento legal.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Die Frauenfrage : ihre geschichtliche Entwicklung und ihre wirtschaftliche Seite (A questão da mulher: seu desenvolvimento histórico e seu lado econômico) (1901)
  • Wahrheit oder Legende: Ein Wort zu den Kriegsbriefen des Generals von Kretschman (Verdade ou lenda: uma palavra sobre as cartas de guerra do general von Kretschman)
  • Die Mutterschaftsversicherung : ein Beitrag zur Frage der Fürsorge für Schwangere und Wöchnerinnen (Seguro de maternidade: uma contribuição em questão da atenção às mulheres grávidas e novas mães)
  • Die Frauen und die Politik (Mulheres e política)
  • Memoiren einer Sozialistin - Lehrjahre (Memórias de uma mulher socialista - Anos de aprendizagem) (Novela)
  • Memoiren einer Sozialistin - Kampfjahre (Memórias de uma mulher socialista - Anos de luta) (Novela)
  • Mutterschaft : ein Sammelwerk für die Probleme des Weibes als Mutter (Maternidade: uma compilação dos problemas das mulherer como mães)
  • Die Liebesbriefe der Marquise (As cartas de amor da Marquise)
  • Die Frauen und der Krieg (As mulheres e a guerra)
  • Im Schatten der Titanen : Erinnerungen an Baronin Jenny von Sustedt (Na sombra dos Titãs: Memórias de Baronesa Jenny von Sustedt) (1908) - uma biografia da avó de Braun, os "Titãs" do título simbolizavam Napoleão Bonaparte, que era tio de von Sustedt, e Goethe, com quem mantinha contato em Weimar durante a infância.
  • Lebenssucher (Buscando viver)
  • Frauenarbeit und Beruf (O trabalho e a carreira das mulheres)

Referências

  1. Käthe Kollwitz. The Diary and Letters of Kaethe Kollwitz. Northwestern University Press; 1988. ISBN 978-0-8101-0761-8. p. 71.
  2. Ute Lischke. Lily Braun, 1865-1916: German Writer, Feminist, Socialist. Camden House; ISBN 978-1-57113-169-0. p. 10.
  3. Helen Rappaport. Encyclopedia of Women Social Reformers. ABC-CLIO; 2001. ISBN 978-1-57607-101-4. p. 106.

links externos[editar | editar código-fonte]