Mânio Labério Máximo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mânio Labério Máximo
Cônsul do Império Romano
Consulado 89 d.C.
103 d.C.

Mânio Labério Máximo (em latim: Manius Laberius Maximus) foi um importante político e militar romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de setembro a dezembro de 89 com Aulo Vicírio Próculo[1] e eleito cônsul ordinário em 103 com o imperador Trajano. Era membro de uma família natural de Lanúvio, onde aparentemente o seu avô — chamado Lúcio Labério Máximo — serviu como magistrado. Seu pai — também chamado Lúcio Labério Máximo — foi um influente equestre que serviu como prefeito das provisões, prefeito do Egito (83) e prefeito do pretório (80-84). Desconhece-se a identidade da sua mãe.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Labério serviu como cônsul sufecto em 89 e acredita-se que como legado imperial na Numídia antes de ser nomeado governador da Mésia Inferior (100-101). Em 111, Plínio, o Jovem entrevistou um dos seus escravos capturado pelos dácios durante seu mandato[2]. Serviu como comandante durante as Guerras Dácias (101-102) e, de acordo com o testemunho de Dião Cássio, distinguiu-se no final da campanha. Pelos seus serviços, Trajano recompensou-o com um segundo consulado em 103, desta vez com ele próprio como colega. A História Augusta[3] afirma que Labério foi condenado após a ascensão ao trono de Adriano, em 117, e "estava exilado numa ilha por causa de seus planos para o trono". Nada mais se sabe sobre estes planos, mas eles levaram o prefeito da Guarda Pretoriana, Públio Acílio Aciano, a sugerir a Adriano que Labério fosse executado. Não se sabe o resultado, mas Adriano já estava cansado de Aciano e é muito provável que Labério tenha sido perdoado.

Não é conhecida a identidade da sua esposa, embora sim se saiba que teve uma filha chamada Labéria Hostília Crispina, herdeira de sua fortuna. Labéria foi a segunda esposa do senador e cônsul em 139, Caio Brútio Presente Lúcio Fúlvio Rústico, com quem teve Lúcio Fúlvio Caio Brútio Presente Labério Máximo, cônsul em 153 e 180. Através dela, Labério Máximo foi o bisavô de Lúcio Brútio Quíncio Crispino, cônsul em 187, e da imperatriz Brútia Crispina, esposa do imperador Cômodo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
Domiciano XIV

com Lúcio Minício Rufo
com Décimo Plócio Gripo (suf.)
com Quinto Nínio Hasta (suf.)
com Lúcio Escribônio Libão Rupílio Frúgio (suf.)
com Marco Otacílio Cátulo (suf.)
com Sexto Júlio Esparso (suf.)

Tito Aurélio Fulvo
89

com Marco Asínio Atratino
com Públio Salústio Bleso (suf.)
com Marco Peduceu Seniano (suf.)
com Aulo Vicírio Próculo (suf.)
com Mânio Labério Máximo (suf.)

Sucedido por:
Domiciano XV

com Marco Coceio Nerva II
com Lúcio Cornélio Púsio Ânio Messala (suf.)
com Lúcio Antístio Rústico (suf.)
com Sérvio Júlio Serviano (suf.)
com Quinto Aceu Rufo (suf.)
com Caio Caristânio Frontão (suf.)
com Públio Bébio Itálico (suf.)
com Caio Aquílio Próculo (suf.)
com Lúcio Álbio Pulaieno Polião (suf.)
com Cneu Pinário Emílio Cicatricula Pompeu Longino (suf.)
com Marco Túlio Cerial (suf.)
com Cneu Pompeu Catulino (suf.)

Precedido por:
Lúcio Júlio Urso Serviano II

com Lúcio Licínio Sura II
com Lúcio Fábio Justo (suf.)
com Tito Dídio Segundo (suf.)
com Lúcio Publílio Celso (suf.)
com Lúcio Antônio Albo (suf.)
com Marco Júnio Hômulo (suf.)

Trajano V
103

com Mânio Labério Máximo II
com Quinto Glício Atílio Agrícola II (suf.)
com Públio Metílio Nepos (suf.)
com Quinto Bébio Mácer (suf.)
com Caio Trebônio Próculo Mécio Modesto (suf.)
com Públio Calpúrnio Mácer Cáulio Rufo (suf.)

Sucedido por:
Sexto Ácio Suburano Emiliano II

com Marco Asínio Marcelo


Referências

  1. Paul Gallivan, "The Fasti for A. D. 70-96", Classical Quarterly, 31 (1981), p. 191, 217
  2. Plínio, o Jovem, Epístolas X, 74.
  3. História Augusta, Vida de Adriano V, 5.