M4A1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
M4A1
M4A1 ACOG.jpg
M4A1
Tipo Fuzil de assalto
Local de origem Estados Unidos
História operacional
Em serviço 1994–presente
Utilizadores Ver Usuários
Guerras
Histórico de produção
Fabricante Colt's Manufacturing Company
Período de
produção
1994–presente
Variantes M4A1
CQBR

A Colt M4A1 é uma versão atualizada da carabina M4 de 5.56x45mm NATO. Diferente da M4 original, no selector de tiro, onde a opção de disparos remetentes é agora automática e na presença de uma calha RIS (Rail Interface System) no topo do corpo da arma, onde a pega que contém a mira é assente. Existem versões onde a calha RIS também está presente no guarda-mão, sendo esta versão a base para o programa SOPMOD (Special Operations Peculiar Modification), que permite ao soldado modificar o seu fuzil instantâneamente de modo a desempenhar melhor o papel desejado na missão. A Carabina M4A1 consiste de uma família de armas de fogo. Seguindo a direção contrária à sua linhagem temos versões anteriores do M16, todas baseadas no original AR-15 feitas pelo ArmaLite. Trata-se de uma versão mais curta e mais leve do fuzil de assalto M16A2, tendo 80% de suas peças em comum com a M16A2. O M4A1 tem opções de fogo, incluindo intermitente simples (de um em um disparo) ou "intermitente triplo" (de três em três disparos, como o M16A2) ou, ainda, a opção remetente (disparos contínuos) no lugar da "intermitente triplo".

Acessórios[editar | editar código-fonte]

Como todas as variantes da M16, a M4A1 pode ser equipada com muitos acessórios, tais como dispositivos de visão noturna, silenciadores, ponteiros laser, miras telescópicas, bipés, os lança-granadas M203 e M320, a espingarda M26 MASS, e tudo compatível com os trilhos táticos.

Outros acessórios comuns incluem a AN/PEQ-2, Advanced Combat Optical Gunsight, e M68 CCO. Miras holográficas EOTech fazem parte do pacote SOPMOD II. Visível e IR (infravermelho) luzes de vários fabricantes também são comumente associadas com os vários métodos de montagem. Tal como acontece com todas as versões do M16, o M4A1 aceita um acessório blank-firing attachment (BFA) para fins de treinamento específico.

Problemas[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser mais bem sucedida que seus antecessores, a M4A1 ainda carrega alguns problemas do M16, como a frequência com que acontecem acidentes quando seu mecanismo é submetido a sujeiras comuns no ambiente de selva, e a complexidade deste mecanismo, que torna muito trabalhoso o processo de desmontagem e manutenção. Apesar disso, é relativamente barata, por isso é usadas por várias organizações em muitos países.

É muito traficada como arma ilegal roubada ou fabricada sem autorização .

Usuários[editar | editar código-fonte]

Um soldado americano disparando sua carabina M4. Acoplado ao cano da arma está um lança-granadas M203.
  •  Afeganistão: Somente usado pelo Comando do Exército Afegão. M4s vendidos em 2006 como parte de um pacote de vendas militares. M4s adicionais foram vendidas em 2008 como pacote de vendas militares.
  •  Austrália: Usado pela Special Operations Command.
  •  Bangladesh: Usado por comandos paramilitares de Blangadesh, Dhaka Metropolitan Police SWAT teams e Special Warfare Diving And Salvage
  •  Bahrein: M4A1s vendidos em 2008 como parte de um pacote de vendas militares.
  •  Belize: M4s/M4A1s vendidos em 2006 como parte de um pacote de vendas militares.
  •  Brasil: Utilizado pelo Exercito Brasileiro, pela Marinha do Brasil, pelos Fuzileiros Navais. Utilizado como fuzil padrão pela Polícia Militar e Polícia Civil de alguns estados brasileiros e Agrupamentos Policiais Especiais como BOPE, CORE, GOE e GATE.
  •  Canadá: Utilizado pelo exército canadense.
  •  Chile: Utilizado pelo exército Chileno.
  •  Colômbia: Utilizado pelo exército Colombiano.
  • Equador: M4s vendidos em 2008 como parte de um pacote de vendas militares.
  •  Emirados Árabes Unidos: Comprado 2,500 M4s em 1993.
  • El Salvador: M4s vendidos em 2007 e 2008 (adicionais) como parte de um pacote de vendas militares.
  •  Estados Unidos: Utilizado como carabina padrão em geral por todos os grupos armados americanos, tais como o Exercito Americano, U.S. Navy SEALs, SWAT, FBI e algumas Policias como a Policia de Los Angeles.
  •  Geórgia: Forças especiais Policiais, Forças armadas, Principalmente as forças do exército regular e especial.
  •  Grécia: Usado pela EKAM operators
  •  Índia: M4a1s vendidos em 2008 como parte de um pacote de vendas militares.
  • Indonésia: Usado pelo Detachment 88 Counter-terrorism Police Squad operators
  •  Iraque: Usado pelo Iraqi Army. Principal arma do Iraqi National Counter-Terrorism Force.
  •  Israel: Vendidos em 2001 como parte de um pacote de vendas militares para Israel.
  •  Inglaterra: Utilizado pela SAS e pelo Exército britânico.
  •  Jamaica: M4s vendidos em 2007 como parte de um pacote de vendas militares.
  •  Japão: M4s vendidos em 2008 como parte de um pacote de vendas militares.
  • Jordânia: M4s vendidos em 2007 como parte de um pacote de vendas militares.
  • Líbano: Componentes de M4 vendidos ao Lebanese special forces.
  •  Macedônia: M4s sold as a 2008 Foreign Military Sales package.
  •  Malásia: Fabricado sob licença pela SME Ordnance Sdn Bhd.
  • Flag of Nepal.svg Nepal: M4s vendidos em 2005 como parte de um pacote de vendas militares.
  •  Nova Zelândia: Usado pela NZSAS operators.
  •  Panamá: M4s vendidos em 2008 como parte de um pacote de vendas militares.
  • Filipinas: M4s vendidos em 2008 como parte de um pacote de vendas militares.
  •  Polónia: Usado pela Força policial Polonesa Grupa Reagowania Operacyjno-Manewrowego (GROM).
  •  Portugal: Usado pelo Fuzileiros do DAE (Destacamento de Acções Especiais)e pelos CTOE(Centro de Tropas de Operações especiais).
  •  Tailândia: M4s vendidos em 2006 como parte de um pacote de vendas militares.
  • Tonga: M4A1s vendidos em 2008 como parte de um pacote de vendas militares
  • Iêmen: M4s vendidos em 2006 como parte de um pacote de vendas militares.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre M4A1