Macinhata da Seixa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.

Macinhata da Seixa foi uma freguesia semi-urbana portuguesa do concelho de Oliveira de Azeméis, com 3,42 km² de área e 1 390 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 406,4 hab/km². Até Julho de 2001 era conhecida como Macinhata de Seixa.

Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, tendo sido agregada às freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul e Madail, para formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Oliveira de Azeméis, Santiago de Riba-Ul, Ul, Macinhata da Seixa e Madail.[1]

Local onde habita e viveu toda a sua vida o Infante Nelson Gonçalves

História[editar | editar código-fonte]

O topónimo Macinhata parece derivar de "mansionata", ou seja, lugar de uma mansão ou pousada, dado que condiz com as condições naturais do habitat, perto do qual passava a já referida via militar romana, em cujo trajecto se construíram “mansiones”, ou seja, pousadas. Outro facto que reforça a escolha deste topónimo tem a ver com a referência, nas Inquirições de D. Afonso III, da existência de “paredes”, como possíveis vestígios de ruínas de casas antigas e se chamar “Macinhata da Pousada”, em 1420.

Trata-se de uma terra antiquíssima, referida no primeiro foral das Terras de Santa Maria, existindo um documento que comprova a sua existência já em 1129. Este curioso documento trata de uma doação testamentária de vários bens patrimoniais dispersos pela região de Entre-Douro e Vouga, feita por Ausenda Honorigues ao Mosteiro de Pedroso, para obter dos frades daquele convento o benefício de missas por sua alma.

A paróquia de Macinhata já aparece formada no século XII e, embora não conste em documentos mais antigos, a sua fundação crê-se que é anterior a essa data, por então já ser referida com o nome de Santo André, seu orago, e por ser um “fundus” que estava na posse de presores que reorganizaram a vida comunitária da região.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Macinhata da Seixa (1864 – 2011) [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
508 557 525 584 641 736 732 758 843 1.058 1.168 1.431 1.443 1.446 1.390

Património[editar | editar código-fonte]

  • Igreja de Santo André (matriz)
  • Capela de Santo António
  • Oratório de Nossa Senhora das Necessidades
  • Um cruzeiro perto do oratório e outro no lugar de Silvares
  • Pedra de armas no lugar de Silvares
  • Alminhas do Senhor da Pedra
  • Ponte da Escravelheira
  • Casas do Alferes, da família Nunes de Freitas e da família Barbedo Vaz
  • Trecho do rio Antuã

Referências

  1. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 2 de fevereiro de 2013.
  2. [Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes ]
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.