Manuel Baquedano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Manuel Baquedano González (Santiago, 1 de janeiro de 1823 - † 30 de setembro de 1897) foi um militar chileno, comandante chefe do exército durante a Guerra do Pacífico. Filho do general de brigada Fernando Baquedano e de Teresa González.

Se iniciou na carreira militar muito jovem, saindo de sua casa aos doze anos para unir-se as tropas que partiam para a guerra entre Peru-Bolívia e Chile. Participou na batalha de Yungay (1839), alcançando aos treze anos a patente de tenente. Batalhou em Loncomilla (1851) no exército de Manuel Bulnes Prieto, e concluída a batalha pediu permissão para visitar seu pai, chefe do estado maior do exército rebelde,ferido em batalha. Formou parte das expedições contra os indígenas do sul, alcançando a patente de general de brigada em 1876. No mesmo ano, foi nomeado comandante geral de armas de Santiago.

Guerra do Pacífico[editar | editar código-fonte]

Durante a guerra, planejou o ataque a Los Ángeles, ação que lhe valeu a estima do Ministro de Guerra em campanha Rafael Sotomayor Baeza, que estava em conflito com o Comandante Chefe do Exército general Erasmo Escala Arriagada. A luta entre ambos se concluiu com a renúncia do general.

Baquedano em seu cavalo

O ministro Sotomayor notou que o moral do exército estava se dissipando, cometendo-se irregularidades de todo tipo. Deu a Baquedano, que possuía um inegável dom de liderança e controle da situação, o cargo de Comandante Chefe.

Apesar da brilhante vitória em Los Ángeles, as futuras concepções estratégicas de Baquedano não foram tão brilhantes, se baseou principalmente no ataque frontal (o que lhe valeu profunda diferenças de critério com o Ministro de Guerra em campanha José Francisco Vergara Echevers, quem, a pesar de ser um civil, era melhor estrategista que Baquedano)

Sua deficiência estratégica era compensada com um bom juízo tático, que lhe permitia não cometer disparates. Isto explica, em parte, porque não perdeu nenhuma batalha.Concluiu a campanha de Tacna na batalha do Alto da Aliança, para depois guiar o exército na campanha de Lima,vencendo nas batalhas de San Juan e Miraflores. Isto permitiu a ocupação do Peru por parte do exército chileno.

Depois da Guerra[editar | editar código-fonte]

Praça Baquedano erguida em memória de Manuel Baquedano situada no centro de Santiago do Chile, a capital do Chile

Voltou em meio a grandes homenagens e improvisados arcos de triunfo,foi tentado pelo Partido Conservador e alguns liberais para ser candidato presidencial e suceder Aníbal Pinto Garmendia; sem embargo, em pouco tempo renunciou a nomeação.

Senador da república entre 1882 e 1894, se manteve à margem da Guerra civil de 1891. O presidente José Manuel Balmaceda lhe cedeu controle do governo, pois perdeu suas forças em Placilla, para tentar deter as possíveis desordens, que efetivamente ocorreram e o general Baquedano não pode controlar.A três dias de mandato, entregou o poder à junta de governo revolucionária.

Precedido por
José Manuel Balmaceda
Chefe do Governo Provisório
1891
Sucedido por
Jorge Montt