Marcos Cavalcanti de Albuquerque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marcos Cavalcanti de Albuquerque
[[Imagem:
Desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, na entrada do Salão do Palácio da Justiça - João Pessoa-PB
|200px|Marcos Cavalcanti de Albuquerque]]
Governador interino do Estado da Paraíba (De 22/07/2015 a 26/07/2015 e de 05/01/2017 a 08/01/2017)
119º Desembargador do Tribunal de Justiça da Paraíba (de 11 de abril de 2007 até a atualidade)
48º Presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba
Mandato: 30 de janeiro de 2015
até 01 de fevereiro de 2017
Antecessor(a): Desembargadora Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti
Sucessor(a): Desembargador Joás de Brito Pereira Filho
58º Presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba
Mandato: 01 de março de 2012
até 28 de fevereiro de 2014
Antecessor(a): Desembargador Manoel Soares Monteiro
Sucessor(a): Desembargador Saulo Henriques de Sá e Benevides
15º Diretor da Escola Superior da Magistratura "Desembargador Almir Carneiro da Fonseca"
Mandato: 02 de fevereiro de 2017
até a atualidade
Antecessor(a): Desembargadora Maria de Fátima Moraes Bezerra Cavalcanti
Dados pessoais
Nascimento: 27 de agosto de 1950 (68 anos)
Mamanguape, Paraíba
Alma mater: Universidade Federal da Paraíba - UFPB, Paraíba, Brasil (1972-1977)
Religião: Catolicismo (Venerável Ordem Terceira do Carmo)

Marcos Cavalcanti de Albuquerque[1], nasceu em Mamanguape, Estado da Paraíba. Filho de João da Matta Cavalcanti de Albuquerque e de Doralice Antão de Albuquerque. É um Desembargador[2], professor universitário, escritor, ensaísta, historiador, imortal da Academia Paraibana de Letras (APL) – Cátedra nº 17[3], do Instituto Histórico e Geográfico Paraibano (IHGP) – Catedra nº 44, da Academia de Letras, Ciências e Artes do Vale do Mamanguape (ALCA-VM) – Cátedra nº 01. Foi o 58º Presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba no biênio 2012-2013[4]. E o 48º Presidente do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba. Assumiu o Governo do Estado da Paraíba, por duas vezes, nos períodos de 22 a 26 de julho de 2015, e, de 05 a 08 de janeiro de 2017. Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais (Direito) pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) em 1977, tendo exercido a advocacia deste ano até o ano de 1981, quando foi Procurador da Arquidiocese da Paraíba, em seguida foi nomeado Promotor de Justiça por aprovação em concurso público de provas e títulos, e em 1983 aprovado em concurso público de provas e títulos passou a exercer a magistratura de carreira do Estado da Paraíba. Através de concurso público de provas e títulos ingressou no magistério superior, na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Diretor da Escola Superior da Magistratura Desembargador Almir Carneiro da Fonseca (ESMA), desde 02 de fevereiro de 2017. Atualmente é Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba.

Desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Convívio da esposa, filhos, noras e netas, dedicado exclusivamente à família, ao trabalho e convívio dos colegas da magistratura e do magistério, como também às atividades acadêmicas e religiosas. O tempo restante dedica à leitura de obras jurídicas e literárias, a pesquisa da história local e a escrever seus votos de julgamento no tribunal, e seus livros sobre temas diversos; sem olvidar os compromissos religiosos nos fins de semana e nas festas mais importantes da igreja católica[5].

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  1. ENFITEUSE – Doutrina e Jurisprudência. Ano – 2000[6].
  2. HAGIOGRAFIA CARMELITANA. Espiritualidade – Ano 2001[7].
  3. LEI DE EXECUÇÃO FISCAL – Interpretação e Jurisprudência – Ano 2003[8].
  4. HISTÓRIA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO DA PARAÍBA – 300 ANOS – Ano 2005. (com outros autores)[9].
  5. COLETÂNEA CARMELITA. Ano 2007[10].
  6. NOBILIARQUIA MAMANGUAPENSE. Ano 2008[11].
  7. MAMANGUAPE: Apogeu, Declínio e Ressurgimento. Ano 2009[12].
  8. HISTÓRIA DA FREGUESIA DE MAMANGUAPE – 380 anos de instalação 1630/2010. Ano 2010.
  9. PERSONALIDADES DO MUNDO JURÍDICO E POLÍTICO (ÚLTIMO VOLUME DE UMA TRILOGIA). Ano 2011[13].
  10. PODER JUDICIÁRIO: HISTÓRIA DA COMARCA DE MAMANGUAPE. Ano 2011[14].
  11. PROCESSOS E JULGADOS HISTÓRICOS DA PARAÍBA. Ano de 2012, 1ª Edição[15].
  12. AS PRIMEIRAS DAMAS, atualizando obra da escritora Rosilda Cartaxo. Ano 2012, 2ª Edição[16].
  13. COMPLEXO ARQUITETÔNICO CARMELITA DA PARAÍBA – Arte Sacra nas Igrejas do Carmo e Santa Tereza. Ano 2012[17].
  14. CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DO HISTORIADOR JOSÉ FERNANDES DE LIMA. Ano 2013, 1ª Edição[18].
  15. HISTÓRIA DA COMARCA DE MAMANGUAPE (Coleção “Comarcas Paraibanas” do TJPB). 2ª Edição. Ano 2013[19].
  16. HISTORIOGRAFIA DA ACADEMIA PARAIBANA DE LETRAS. Ano 2013 – Lançado em 2014[20].
  17. CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DO DESEMBARGADOR LUIZ SÍLVIO RAMALHO. Ano 2014[21].
  18. HISTÓRIA DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DA PARAÍBA. Ano 2014[22].
  19. UM HOMEM DEDICADO À JUSTIÇA – Desembargador Heráclito Cavalcanti Carneiro Monteiro. Ano 2014. Lançado em 15.10.2015[23].
  20. JOÃO SUASSUNA – UM MAGISTRADO QUE GOVERNOU A PARAÍBA, de autoria do Desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque e do escritor e jornalista José Nunes. Lançado em 15.10.2015[24].
  21. PROCESSOS E JULGADOS HISTÓRICOS DA PARAÍBA – Violência Contra a Mulher. Ano 2015, 2ª Edição[25].
  22. HAGIOLÓGIO DOS SANTOS CARMELITAS - Organização do Prior da Ordem Terceira do Carmo. Lançado em 2016, 1ª Edição[26].
  23. HAGIOLÓGIO DOS SANTOS CARMELITAS - Organização do Prior da Ordem Terceira do Carmo. Lançado em 2017, 2ª Edição[27].
  24. UM HOMEM DE VISÃO FUTURISTA – Arquimedes Souto Maior Filho. Ano 2017[28].
  25. A PRETA GERTRUDES – Romance. Ano 2018[29].
  26. O JULGAMENTO DA PRETA GERTRUDES – Peça Teatral. Ano 2019[30].

Referências

  1. «Des. Marcos Cavalcanti». Conselho dos Tribunais de Justiça do Brasil. Consultado em 10 de janeiro de 2019 
  2. https://pt.wikipedia.org/wiki/Desembargador
  3. Tabosa, Karla. «Acadêmicos». www.aplpb.com.br. Consultado em 20 de junho de 2018 
  4. «.:: Memorial da Justiça Eleitoral Paraibana ::.». apps.tre-pb.jus.br. Consultado em 20 de junho de 2018 
  5. «.:: Blogger M.C. de Albuquerque ::.». Consultado em 7 de março de 2019 
  6. «.:: JusBrasil ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  7. «.:: JusBrasil ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  8. «.:: Fnac ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  9. «.:: Amazon.com.br ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  10. «.:: JusBrasil ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  11. «.:: JusBrasil ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  12. «.:: O Bê-a-bá do Sertão ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  13. «.:: JusBrasil ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  14. «.:: Jornal da Paraíba ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  15. «.:: JusBrasil ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  16. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  17. «.:: Jornal da Paraíba ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  18. «.:: Site Associação dos Magistrados da Paraíba AMPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  19. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  20. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  21. «.:: Site Associação dos Magistrados da Paraíba AMPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  22. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  23. «.:: Ponto de Cultura Cantiga de Ninar ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  24. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  25. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  26. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  27. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  28. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  29. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 10 de fevereiro de 2019 
  30. «.:: Site do TJPB ::.». Consultado em 26 de fevereiro de 2019