Maria João Ruela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.


Maria João Ruela
Nascimento 23 de Dezembro de 1969 (44 anos)
Pardilhó
Nacionalidade  Portugal
Ocupação jornalista

Maria João Ruela (Pardilhó, 23 de Dezembro de 1969) é jornalista profissional desde 1992.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Licenciou-se em Comunicação Social, tendo iniciado a sua carreira profissional como copy, na área da publicidade. Trabalhou também como freelancer para alguns jornais e revistas e em 1992, integrou a equipa fundadora da SIC - Sociedade Independente de Comunicação como jornalista estagiária. Fez parte das equipas de Praça Pública e Casos de Polícia e integrou a editoria de sociedade, onde acompanhou sobretudo as áreas de Justiça e da Administração Interna. Pivot desde 1998 e coordenadora de informação desde 2005, assume desde 2007 as funções de editora executiva na redacção da estação de Carnaxide. Em 2003 foi baleada numa perna, no Iraque, quando acompanhava a missão da GNR no país, um acidente que lhe deixou algumas limitações físicas,[1] que nem por isso a demovem de fazer uma das coisas de que mais gosta, que é viajar. No livro Viagens Contadas, descreve algumas das suas viagens de aventura, a destinos como a Patagónia, o Nepal, Marrocos e Noruega, entre outros.[2]

Referências

  1. Eles fintaram a morte (1) - Maria João Ruela. Expresso. Página visitada em 26-04-2012.
  2. Maria João Ruela conta viagens em livro. Fugas- Público. Página visitada em 26-04-2012.