Maria Rita Colaço Chiappe Cadet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria Rita Colaço Chiappe Cadet
Nascimento 1836
Alentejo
Morte 5 de dezembro de 1885 (49 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Ocupação poetisa, romancista, escritora

Maria Rita Colaço Chiappe Cadet, ou Soror Dolores (?- 5 de dezembro 1885, Lisboa) foi uma poeta, contista, romancista, e dramaturga portuguesa. Foi também professora e responsável pela livraria Lallemant (Lisboa).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Do seu nascimento apenas se sabe que ocorreu no Alentejo, circa 1836. Foi exposta na Roda da Santa Casa de Lisboa, e aí foi batizada[1].

A sua infância foi passada a cargo de Barnabé Martins de Pancorvo e Maria Madalena Chiappe Colaço - que se crê a terem adotado. Foi díscipula de António Feliciano de Castilho. A partir dos 15 anos começou a publicar poesia regularmente[1].

Mais tarde, foi professora primária e lecionou francês. A partir de 1855, dirige um colégio feminino, em Lisboa[1].

Deixa de exercer ao casar-se com João Baptista dos Santos Cadet, a 31 de outubro de 1857, em Lisboa[1].

Em 1870, reune os seus poemas dispersos e publica Versos. Dedica-os a D. Joanna Gil Borgia de Macedo. Esteve na Madeira entre 1870 e 1875, onde conviveu com a Viscondessa das Nogueiras e com os Viscondes da Ribeira Brava, aos quais dedicou inúmeras obras. Em 1875, publica a antologia Sorrisos e Lágrimas: poesias[1].

De regresso a Lisboa, assume a posição de gerente da editora e livraria Marie Françoise Lallemant et Frères. Em 1880, publica o livro Flores da Infância, Contos e Poesias Morais dedicados a Mocidade Portuguesa - que será usada nas escolas brasileiras e portuguesas[1].

Obras[2][editar | editar código-fonte]

  • Hymno de S.M. El Rei D. Luiz I : composto para a sua acclamação poesia de D. Maria Rita Chiappe Cadet ; musica de Manoel Innocencio Liberato dos Santos, mestre de sua Magestade, Lisboa, Sassetti & Cia, 1862
  • Versos Lisboa, Typographia de Castro Irmão, 1870
  • Sorrisos e Lágrimas. Poesias de D. Maria Rita Chiappe Cadet, Lisboa, Typ. Lallemant Frères, 1875
  • Flores da Infância. Contos e Poesias Moraes dedicados a Mocidade Portuguesa, Lisboa, Typ. de Marie Françoise Lallemant, 1880
  • Contos de mamã, Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1883
  • A Mascarada Infantil (comédia em um acto), Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1883
  • Caprichos do Luizinho, Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1883
  • A Boneca (comédia em um acto)Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1884
  • O Último dia de Férias, Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1884
  • As Fadas Improvisadas, Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1884
  • O lunch na Quinta (comédia em um acto)Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1884
  • O Primeiro Baile (monólogo em um acto), Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1884
  • O Segredo de Helena (monólogo em verso), Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1884
  • A Preguiça e a Mentira (comédia em um acto)Lisboa, Livraria Editora Marie Françoise Lallemant, 1885
  • "A Estrella (Poema em oitavas)" Almanaque de Lembranças Luso Brasileiro para o anno de 1861 com 428 artigos e 94 gravuras por Alexandre Magno de Castilho, Lisboa, Typographia Franco-Portugueza, 1860, pp. 218-219.
  • "O Anjo da Charidade" Archivo Pitoresco, 1861, pp. 244-245; 250-251; 262-264; 361-364

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f Castro, Andreia. «Maria Rita Colaço Chiappe Cadet (1836-1855)». Consultado em 7 de outubro de 2017. 
  2. «Maria Rita Chiappe Cadet». "Escritoras em Português" - Projeto Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Consultado em 7 de outubro de 2017. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SILVA,  Innocêncio Francisco da, Diccionário Bibliographico Portuguez, Lisboa, Imprensa Nacional, 1858-1862.