Marie Under

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marie Under
Nome nativo Marie Under
Nascimento 27 de março de 1883
Tallinn
Morte 25 de setembro de 1980 (97 anos)
Estocolmo
Sepultamento Skogskyrkogården
Cidadania Império Russo, Estônia, Suécia
Cônjuge Artur Adson
Ocupação poetisa, arquivista, tradutora, escritora

Marie Under (Tallinn, 27 de março de 1883Estocolmo, 25 de setembro de 1980) foi uma poetisa estoniana.

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Marie Under estudou em uma escola particular alemã para meninas. Depois de graduar-se, foi trabalhar como balconista em uma livraria. Nas horas livres, ela escrevia poesia em alemão. Em 1902, casou com o contador estoniano, Carl Hacker. O casal teve dois filhos em Kutshino, um subúrbio de Moscou. Porém, em 1904, ela apaixonou-se pelo artista estoniano Ants Laikmaa. Laikmaa convenceu-a a traduzir sua poesia para o estoniano e enviou seus trabalhos traduzidos para os jornais locais.

Retorno para a Estônia[editar | editar código-fonte]

Em 1906, Under retornou para Tallinn. Em 1913, ela encontrou-se com Artur Adson, e tornou-se sua secretária. Ele também compilou os primeiros volumes de sua poesia publicada. Em 1924, Under divorciou-se de Carl Hacker e casou com Adson.

Emigração[editar | editar código-fonte]

No início de setembro de 1944, a U.R.S.S. ocupou a Estônia. Under e sua família fugiram para a Suécia. Eles passaram quase um ano em um campo de refugiados. Em 1945, a família mudou-se para Mälarhöjden, um subúrbio de Estocolmo, Suécia, onde Under morou até a sua morte em 25 de setembro de 1980. Ela está sepultada no Skogskyrkogården (Cemitério da Floresta), em Estocolmo.

Obras selecionadas[editar | editar código-fonte]

  • "Sonetid" (1917)
  • "Eelõitseng" (1918)
  • "Sinine puri" (1918)
  • "Verivalla" (1920)
  • "Pärisosa" (1923)
  • "Hääl varjust" (1927, "Vozes das Sombras", 1949)
  • "Rõõm ühest ilusast päevast" (1928)
  • "Õnnevarjutus" (1929)
  • "Lageda taeva all" (1930)
  • "Kivi südamelt" (1935)
  • "Mureliku suuga" (1942)
  • "Sädemed tuhas" (1954)
  • "Ääremail" (1963)
  • "Mu süda laulab" (Antologia póstuma, 1981)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]