Maslowa Gomes Venturi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maslowa Gomes Venturi
Nascimento 12 de fevereiro de 1915 (106 anos)
São Paulo, São Paulo
Nacionalidade  Brasil
Ocupação escritora, tradutora
Principais trabalhos Trilha Perdida, 1971

Maslowa Pereira Gomes Venturi (São Paulo, 12 de fevereiro de 1915)[1] foi uma escritora e tradutora brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maslowa nasceu em São Paulo em 12 de fevereiro de 1915, Filha de Yaynha Pereira Gomes (poeta, pintora e contista gaúcha, 1885-1975), e sobrinha de Aplecina Conrado do Carmo (poeta, desenhista, teatróloga e professora gaúcha, 1895-1963). Maslowa dedicou-se inicialmente à tradução, e estreou como romancista em 1950, com “Vozes sem eco”.

Lista de obras[editar | editar código-fonte]

Carreira literária[editar | editar código-fonte]

Seu livro de estréia, “Vozes sem eco”, em 1950, segue o realismo da época e se ambienta na cidade de São Paulo, retratando o cotidiano familiar da burguesia; retratando São Paulo pós-golpe getulista, com o Estado Novo, introduz a política em sua narrativa.

Em seu 2º romance, “Portão Fechado”, em 1953, apresenta o envolvimento político de forma mais madura, retratando São Paulo pós-revolução de 1930, com Getúlio Vargas no poder. Em “Terra de Deus”, em 1957, amplifica seu envolvimento retratando uma revolução camponesa fracassada no interior paulista[2].

“Trilha Perdida”, de 1971, tem entre seus temas a Guerra do Paraguai; Jorge Amado, ao fazer a apresentação do livro, escreve: “Trilha Perdida participa, ao mesmo tempo, do romance de costume – admirável romance de costumes –, e até do romance histórico. (...) Assim a novelística da autora paulista ganha dimensão maior, tendo ela enfrentado com sucesso uma arquitetura vasta e complexa em sua criação romanesca[3].

Traduções[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. COUTINHO, Afrânio; SOUSA, J. Galante de. Enciclopédia de literatura brasileira. São Paulo: Global; Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Academia Brasileira de Letras, 2001: 2v.
  2. COELHO, Nelly Novaes, 2001, p. 483. In: Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras 1711-2001
  3. AMADO, Jorge. Apud COELHO, Nelly Novaes, 2001, p. 483. In: Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras 1711-2001