Mateus 20

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Trabalhadores na Vinha, um dos episódios de Mateus 20.
Séc. XVII. Por Jacob de Wet (I), atualmente no Museu de Belas Artes de Budapeste.

Mateus 20 é o vigésimo capítulo do Evangelho de Mateus no Novo Testamento da Bíblia e narra os eventos do ministério de Jesus na Pereia, já durante sua viagem final para Jerusalém.

Parábola dos Trabalhadores na Vinha[editar | editar código-fonte]

Esta parábola de Jesus aparece apenas em Mateus 20:1-16. Jesus afirma que qualquer "operário" que aceita o convite para o trabalho na vinha (uma metáfora de Jesus para o reino dos céus), não importa o quão tarde do dia, receberá uma recompensa igual com aqueles que foram fiéis por mais tempo (ou seja, que chegaram à vinha mais cedo). Ao ouvir os rumores ("Estes últimos trabalharam somente uma hora, e os igualaste a nós, que suportamos o peso do dia e o calor extremo"), respondeu o senhor da vinha (também uma metáfora para Deus):

«Meu amigo, não te faço injustiça; não ajustaste comigo um denário? Toma o que é teu, e vai-te embora; pois quero dar a este último tanto como a ti. Não me é lícito fazer o que me apraz do que é meu? Acaso o teu olho é mau, porque eu sou bom. Assim os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos.» (Mateus 20:13-16)

Esta última frase, um dos mais famosos ditos de Jesus, aparece também no episódio de Jesus e o jovem rico do capítulo anterior.

Jesus profetiza sua morte[editar | editar código-fonte]

Jesus curando o cego perto de Jericó, um dos muitos milagres de Jesus.
1861. Por Johann Heinrich Stöver, na igreja de São João, Rheingau, Alemanha.
Ver artigo principal: Jesus profetiza sua morte

No caminho para Jerusalém, Jesus profetiza sua morte pela terceira vez no Evangelho de Mateus (Mateus 20:17-19), um episódio que aparece também em Marcos 10 (Marcos 10:32-34) e Lucas 18 (Lucas 18:31-34), desta vez mencionando especificamente a crucificação:

«Eis que subimos a Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas; eles o condenarão à morte e o entregarão aos gentios para ser escarnecido, açoitado e crucificado e, ao terceiro dia, ressuscitará (Mateus 20:18-19)

Filho do homem veio para servir[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Filho do homem veio para servir

Num episódio que aparece também em Marcos 10 (Marcos 10:35-45), Mateus 20:20-28 conta que a mulher de Zebedeu se aproximou de Jesus com seus filhos (Tiago e João) e lhe pediu eles se sentassem um de cada lado no seu reino. Jesus replicou que eles não sabiam o que estavam pedindo e quis saber se ambos estavam prontos para «...beber o cálice que eu estou para beber» (Mateus 20:22), ao que ambos responderam que sim. Ainda assim, Jesus respondeu-lhes que lhe cabia definir quem estaria ao seu lado e sim ao Pai, referências claras à crucificação.

Ouvindo o diálogo, os discípulos se indignaram, mas Jesus os chamou e discursou:

«Sabeis que os governadores dos gentios dominam os seus vassalos, e sobre eles os grandes exercem autoridade. Não é assim entre vós. Mas quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós, será esse o vosso servo. É assim que o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.» (Mateus 20:24-28)

Cego perto de Jericó[editar | editar código-fonte]

O capítulo termina com o relato de um milagre de Jesus (Mateus 20:29-34). Já na saída de Jericó, um par de cegos chamou Jesus de "filho de Davi" e pediu compaixão. Conforme a multidão ordenava que se calassem, mais alto eles gritavam até que Jesus perguntou o que eles queriam. A resposta foi: «Senhor, que se nos abram os olhos!» (Mateus 20:33). Jesus tocou-lhes e, curados, ambos o seguiram.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por:
Mateus 19
Capítulos do Novo Testamento
Evangelho de Mateus
Sucedido por:
Mateus 21

Ligações externas[editar | editar código-fonte]