Matias de Médici

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Matias de Médici
Príncipe da Toscana
Governador de Siena
Retrato de Matias de Médici por Justus Sustermans.
Governador de Siena
Reinado 16291667 (com interrupções)
Antecessor(a) Catarina de Médici
Sucessor(a) Francisco Maria de Médici
 
Dinastia Médici
Nascimento 9 de maio de 1613
  Florença, Grão-ducado da Toscana
Morte 11 de outubro de 1667 (54 anos)
  Siena, Grão-ducado da Toscana
Enterro Basílica de São Lourenço, Florença
Pai Cosme II de Médici
Mãe Maria Madalena de Áustria

Matias de Médici (em italiano: Mattias de' Medici ; 9 de maio de 161311 de outubro de 1667) foi o terceiro filho varão de Cosme II de Médici, Grão-Duque da Toscana e da Arquiduquesa Maria Madalena de Áustria.

Foi Governador de Siena, com interrupções, de 1629 até à sua morte. Nunca casou nem teve descendência.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Matias deveria ter seguido uma carreira eclesiástica, tal como o seu irmão João Carlos (Gian Carlo), mas rapidamente concluíu que esta não seria do seu agrado. Em vez disso, aos 16 anos, optou por uma carreira militar. O seu pai, o Grão-Duque Cosme II, morreu a 28 de fevereiro de 621, sendo sucedido pelo filho mais velho, Fernando II de Médici. A 29 de maio de 1629, o novo Grão-Duque nomeou Matias Governador de Siena, na sequência da morte da sua tia Catarina de Médici que, na altura, exercia esse cargo.[2]

Ele chegou aos seus domínios a 27 de agosto e estabeleceu residência na Piazza del Duomo[3]. Passou a maior parte do seu tempo em Siena, ele era bastante popular entre os Sieneses.[2] Em 1631, juntou-se aos exércitos imperiais na Guerra dos Trinta Anos, tomando parte na famosa batalha de Lützen,[4] em outubro de 1632, onde conheceu o político Sienês Otávio Piccolomini.

Outro retrato de Matias de Médici, por Sustermans.

Com o seu retorno ao Grão-Ducado em 1641, ele retomou as rédeas do governo de Siena. Contudo, ele não permaneceu longo tempo com o despoletar das Guerras de Castro. Fernando II entregou-lhe a suprema autoridade dos assuntos militares do Grão-Ducado,[2] and thus he comandando a liga constituída pela República de Veneza, pelo Grão-Ducado da Toscana, o Ducado de Parma e Placência e o Ducado de Módena e Reggio contra o Papa Barberini (Urbano VIII), confiando o governo de Siena ao seu irmão, o Cardeal Leopoldo de Médici, durante a sua ausência.

Matias adorava as artes e foi patrono de Justus Sustermans, Volterrano e de muitos outros artistas eminentes. Quando esteve na Alemanha, adquiriu instrumentos científicos, como relógios de sol, astrolábios e compassos; todos eles foram, mais tarde, depositados nos Uffizi.

Já em idade avançada, Matias sofreu de gota, e ponderou reassumir as vestes eclesiásticas; contudo, ele ficou doente e morreu em Siena em 11 de outubro de 1667 com 54 anos.

Foi sepultado no mausoleu dos Médici, na Basílica de São Lourenço, em Florença.[5]

Ascendência[editar | editar código-fonte]


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Young, The Medici: Volume II, p 531.
  2. a b c Young, The Medici: Volume II, p 433.
  3. em português: Praça da Catedral
  4. Young, The Medici: Volume II, p 403.
  5. Young, The Medici: Volume II, p 455.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Acton, Harold: The Last Medici, Macmillan, Londres, 1980, ISBN 0-333-29315-0
  • Young, G.F.: The Medici: Volume II, John Murray, Londres, 1920

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]


Matias de Médici
Nascimento: 9 de maio 1613 Morte: 11 de outubro 1667
Cargos políticos
Precedido por:
Catarina de Médici
Governador de Siena
1629-1636
Sucedido por:
Leopoldo de Médici
Precedido por:
Leopoldo de Médici
Governador de Siena
1641-1643
Governador de Siena
1644-1667
Sucedido por:
Francisco Maria de Médici