Mercado da Saudade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Mercado da Saudade é um termo usado em economia para designar o mercado de trabalho especializado em comercializar produtos típicos de uma nação para as comunidades daqueles países que vivem no estrangeiro.[1][2] O termo se refere à saudade que essas pessoas sentem de itens comuns de seu país (mas que não são encontrados no exterior), como alimentos típicos e estilo de vida, e que os motiva a abrir um negócio relacionado a esses temas.[3]

Por exemplo, a maior parte dos empreendimentos de brasileiros no exterior que está ligada ao “mercado da saudade”, vai desde a comercialização de açaí, tapioca e feijão, a salões de beleza e academias de capoeira e jiu-jítsu.[4] No ranking dos produtos alimentícios brasileiros mais exportados, a água de coco desponta na frente, seguida pelo pão de queijo e o açaí.[5]

Segundo dados divulgados em 2017 pelo Itamaraty, os Estados Unidos concentram quase a metade dos empreendimentos de brasileiros ligados ao mercado da saudade, com 9 mil. Em seguida estão o Japão, com 1,5 mil, e a França, com 1.320.[4]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. g1.globo.com/ - Pequenas Empresas, Grandes Negócios Empresa de SP exporta pamonha e lucra com "mercado da saudade"
  2. expresso.sapo.pt/ Ultrapassar o "mercado da saudade"
  3. diarioinduscom.com/ Mercado da saudade
  4. a b impresso.em.com.br/ Mercado da saudade - Brasileiros encontram ambiente favorável no exterior para empreender e fazer sucesso com serviços e produtos típicos do país, como salões de beleza, academias, açaí e tapioca
  5. g1.globo.com/ "Mercado da saudade" volta com força e leva produtos brasileiros ao exterior