Saltar para o conteúdo

Mesquita dos Omíadas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mesquita dos Omíadas
(em árabe: جامع بني أمية الكبير)
Mesquita dos Omíadas
Vista aérea da mesquita
Início da construção c. 636
Fim da construção c. 638
Religião Islamismo
Geografia
País Síria Síria
Região Damasco
Coordenadas 33° 30' 41" N 36° 18' 24" E

A Mesquita dos Omíadas, Mesquita de Umayyad ou Grande Mesquita de Damasco (em árabe: جامع بني أمية الكبير, transl.: Ğām' Banī 'Umayyah al-Kabīr) está localizada na cidade de Damasco, capital da Síria. Faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO e é considerada o quarto lugar mais sagrado para os muçulmanos.

A mesquita guarda mosaicos e minaretes de sua construção original.

Logo após a conquista de Damasco (636), o califa omíada Ualide I mandou demolir a basílica cristã em honra a João Batista para construir uma grande mesquita. Inicialmente, a conquista muçulmana não afetou a igreja, pois o edifício era compartilhado pelos fiéis cristãos e muçulmanos. Com o tempo, estes construíram uma estrutura de tijolos de barro encostada na parede sul da igreja para que os cristãos pudessem rezar. De acordo com a lenda, o próprio Ualide I iniciou a demolição cravando um prego de ouro na estrutura.

A mesquita abriga um santuário no qual acredita-se estar preservada a cabeça de João Batista, que é considerado um Profeta do Islã e chamado Yahya. Supostamente, a cabeça foi encontrada durante as escavações para a construção da mesquita. É também ali que acredita-se que Isa (Jesus) voltará no Fim dos Tempos.

O Mausoléu de Saladino está ali também, num pequeno jardim anexo à muralha norte.[1]

Em 6 de maio de 2001, o papa João Paulo II se tornou o primeiro papa católico da história a entrar e rezar numa mesquita. Respeitosamente removendo os seus sapatos, ele entrou na Mesquita dos Omíadas, uma antiga igreja cristã bizantina dedicada a São João Batista (que, acredita-se, está enterrado lá), em Damasco, na Síria, e ali deu um discurso que incluiu a seguinte afirmação: "Por todas as vezes que os cristãos e os muçulmanos se ofenderam entre si, precisamos buscar o perdão do Todo Poderoso e oferecer uns aos outros o perdão".[2][3]

Referências

  1. Inside the Umayyad mosque 6 de maio de 2001, BBC Nwes
  2. Plett, Barbara (7 de Maio de 2001). «Mosque visit crowns Pope's tour» (em inglês). BBC News. Consultado em 1 de outubro de 2002. Arquivado do original em 1 de outubro de 2002 
  3. «Meeting with the Muslim leaders - Omayyad Great Mosque, Damascus» (em inglês). The Catholic Community Forum and Liturgical Publications of St. Louis, Inc. Consultado em 3 de março de 2013. Arquivado do original em 3 de agosto de 2001 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Mesquita dos Omíadas
Ícone de esboço Este artigo sobre o islão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.