Metidilazina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estrutura química de Metidilazina
Metidilazina
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
10-[(1-methylpyrrolidin-3-yl) methyl]- 10H-phenothiazine
Identificadores
CAS 1982-37-2
ATC R06AD04
PubChem 14677
DrugBank DB00902
ChemSpider 14009
Informação química
Fórmula molecular C18H20N2S 
Massa molar 296,431 g/mol
SMILES S2c1ccccc1N(c3c2cccc3)CC4CCN(C)C4
Farmacocinética
Biodisponibilidade ?
Metabolismo ?
Meia-vida ?
Excreção ?
Considerações terapêuticas
Administração ?
DL50 ?

Metidilazina (Dilosyn, Tacaryl) é uma anti-histamínico d primeira geração com propriedades anticolinérgico da classe das fenotiazinas.[1] É comercializado na forma de cloridrato.[2]

Análogo de anel compactado, a metidilazina mostra apenas uma atividade muito fraca como um tranquilizante; Em vez disso, esse agente constitui um importante anti-histamínico.

Tem aplicação como antiprurídico, mas sendo um fármaco potente, assim como a trimeprazina, seu uso deve ser realizado com muita cautela, pois está associado ao risco de agranulocitose.[3]

Síntese[editar | editar código-fonte]

Síntese da metidilazina:[4] R. F. Feldkamp and Y. H. Wu; Mead Johnson & Company; U.S. Patent 2 945 855 (1960).

Ação sobre bactérias[editar | editar código-fonte]

Apresenta um sinergismo com as propriedades antibacterianas do antipsicótico proclorperazina , além de alguns antibióticos e agentes quimioterápicos, sendo atribuída esta ação bactericida à alteração da [[permeabilidade] da membrana das bactérias.[5][6][7]

Referências

  1. Evandro A. Rivitti; Manual de Dermatologia Clínica de Sampaio e Rivitti; Artes Médicas Editora, 2014. pg 688
  2. Alfonso R. Gennaro; Remington: Farmacia, Volume 1; Ed. Médica Panamericana, 2003. pg 300
  3. Sharon L. Lewis, Margaret M. Heitkemper, Shannon Ruff Dirksen, Linda Bucher; Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica: Avaliação e Assistência dos Problemas Clínicos; Elsevier Brasil, 2013. pg 222
  4. L. W. Marsch and R. Peterson, Arzneimittel Forsch., 9, 715 (1959).
  5. Rani Basu L, Mazumdar K, Dutta N, Karak P, Dastidar S (2005). «Antibacterial property of the antipsychotic agent prochlorperazine, and its synergism with methdilazine». Microbiol Res. 160 (1): 95–100. PMID 15782943. doi:10.1016/j.micres.2004.10.002 
  6. Chattopadhyay D, Mukherjee T, Pal P, Saha B, Bhadra R (1998). «Altered membrane permeability as the basis of bactericidal action of methdilazine». J Antimicrob Chemother. 42 (1): 83–6. PMID 9700532. doi:10.1093/jac/42.1.83 
  7. Chattopadhyay D, Dastidar S, Chakrabarty A (1988). «Antimicrobial properties of methdilazine and its synergism with antibiotics and some chemotherapeutic agents». Arzneimittelforschung. 38 (7): 869–72. PMID 2905130 

Ver também[editar | editar código-fonte]