Anticolinérgico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A atropina é obtida a partir da Atropa belladonna (beladona), antigamente usada para dilatar a pupila e aliviar a asma.

Anticolinérgicos podem ser substâncias extraídas de plantas ou ser sinteticamente produzidas. Sua característica é inibir a ação da acetilcolina. Os anticolinérgicos são classificados como diretos e indiretos. Os anticolinérgicos diretos também chamados de antimuscarínicos, que são drogas que antagonizam nos receptores muscarínicos, e antinicotínicos por antagonizar a ação da acetilcolina nos receptores nicotínicos. Os anticolinérgicos indiretos agem interferindo na síntese, armazenamento e liberação da acetilcolina, a exemplo da toxina botulínica. [1]

A nicotina e seus antagonistas, diferem antimuscarínicos porque a ação parassimpaticolítica destes é devida à sua atuação nas sinapses neuroefetoras do parassimpático enquanto que a classe das drogas nicotínicas (similares ou derivadas das extraídas da Nicotiana tabacum) agem na sinapse ganglionar inibindo a ação da acetilcolina. Por essa característica são estudados separadamente e denominados ganglioplégicos ou bloqueadores ganglionares, muito uteis no processo da anestesia cirúrgica. [2] [3]

Indicações[editar | editar código-fonte]

Escopolamina (nome comercial: Buscopan) é um anticolinérgico usado para desconforto abdominal e cólicas.

Podem ser usados para[4]:

Contra-indicações[editar | editar código-fonte]

É contraindicado a pessoas com[5]:

Risco de Demência[editar | editar código-fonte]

Os anticolinérgicas inibem a acetilcolina, e dificultam o aprendizado e a memória. Shelley Gray e uma equipe da Universidade de Washington (EUA), após 10 anos de pesquisas concluíram que Anticolinérgico aumentam significativamente a probabilidade de desenvolver demência.[6]

Efeitos colaterais[editar | editar código-fonte]

Os efeitos colaterais mais comuns (mais de 10% dos medicados) são[7]:

  • Garganta seca e nariz por diminuição da produção de muco.
  • Cessação da respiração.
  • Aumento da temperatura corporal; Secundariamente, a compensação aumenta a dissipação de calor pela circulação cutânea, levando à pele vermelha.
  • Dilatação pupilar (midríase); consequentemente, sensibilidade à luz (fotofobia)
  • Perda da acomodação visual, levando a visão turva (cicloplegia) ou visão dupla (diplopia).
  • Aumento da frequência cardíaca (taquicardia).
  • Bexiga distendida.

Os sinais de toxicidade no sistema:

  • Hipersensibilidade de audição.
  • Pensamentos ilógicos.
  • Distúrbios visuais.
  • Flashes periódicos de luz.
  • Alterações periódicas do campo visual.
  • Visão de neve.
  • Visão restrita ou "túnel".

Alucinações de todos os sentidos:

  • Visão ondulante de superfícies e arestas.
  • Visão inexistente de texturas em superfícies.
  • Visão de linhas que se movem ou dançam, aranhas, insetos.
  • Objetos animados indistinguíveis da realidade.
  • Mais raro: convulsões, coma e morte.

Plantas anticolinérgicas[editar | editar código-fonte]

Os efeitos anticolinérgicos dessas plantas são devidos principalmente à produção das substâncias: atropina e escopolamina.

Substâncias sintéticas e semi-sintéticas[editar | editar código-fonte]

Atropina obtida sinteticamente desde 1901 [8]
Antagonistas muscarínicos
Antagonistas nicotínicos (curarizantes)

No Organismo, essas substâncias têm a capacidade de bloquear (antagonismo competitivo) os receptores onde o neurotransmissor, acetilcolina, age. Os anticolinérgicos, como a atropina e a escopolamina, agem mais especificamente em receptores chamados muscarínicos. Os seus efeitos, como a pupila dilatada, ocorrem devido ao bloqueio desse tipo de receptor.[9]

Referências